quarta-feira, 21 de março de 2012

Poemas das horas vagas

Depois do adeus nada fica
ou fica, mas acaba por ir.
Porque gostar de ti implica
não saber o que é sorrir.

As recordações são arquivadas,
os projectos são esquecidos,
as memórias são guardadas,
e os sonhos são perdidos.

Para trás fica a chama
que talvez nunca seja apagada.
Contudo sabemos que quem ama
nunca esquece a pessoa amada.

Joana Filipa

2 comentários:

M disse...

Está lindo, parabéns :)

Joana Filipa disse...

Muito obrigada!! :)*