segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Life goes on, and on...

Desde a última vez que escrevi estou uma pessoa diferente. A todos os níveis, em todas as acepções. Não sei em concreto se melhor se pior, mas diferente. A Faculdade não me permite vir aqui tantas vezes quantas gostava e acabei por redigir um diário em manuscrito para aqueles momentos que estou tão sôfrega de passar para o papel todas as emoções que me corrompem que não consigo conter as palavras (e as vezes as lágrimas) dentro de mim. Acabei por não querer expôr este ou aquele aspecto da minha vida, por não querer partilhar o que estou a sentir, porque no fundo acho que ninguém me percebe, ou talvez eu me perceba somente a mim. Ou talvez nem mesmo isso aconteça. Pelo menos eu tento. A esta hora já costumo estar deitada, mas apeteceu-me recordar este cantinho tão explorado antigamente e hoje em estado vegetativo (quase) permanente. Não me esqueci de ti, querido blog, nem de vocês, seguidores, é só que há momentos da nossa vida em que sentimos necessidade de viver as coisas solitariamente.
Estou feliz, estou essencialmente grata pelo que tenho e acho que nunca me senti tão realizada a todos os níveis como sinto agora. Sometimes we have to forgive ourselves in order to move on and when we do... Well, when we do we find happiness. Boa noite, sons da vida.

domingo, 15 de setembro de 2013

Love you

It doesn't matter how many times I watch Rocky, I always cry at the end!

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Desilusão

[Spoiler Alert] Se são fãs de 90210 e já acabaram de ver a série podem continuar a ler e compactuar com o meu desagrado, se ainda estão a ver, então esperem por se desiludirem a vocês mesmos.
Ora... Qual foi o sentido daquele final?! Primeiro estamos 5 temporadas para ver a Annie e o Liam com um super final feliz e o que acontece é, na verdade, 2 minutos (se tanto) deles juntos. Ao menos ficam noivos, pronto. Navid e Adrianna começaram um pouco antes do Liam e Annie, mas também tiveram um final muito fraquinho. Mas calma, que estes foram os melhores finais arranjados pelos queridos criadores. O Dixon acaba sem sucesso, sem rapariga, sem nada! Mas pior acaba a Silver que para além de também não ter nada daquilo ainda se descobre que tem cancro. E a Naomi?! Sempre pensei que ela acabasse por ficar com o Max, o seu true love inquestionável, mas não, acaba com o Jordan com quem viveu um pseudo romance sem piada absolutamente nenhuma. Uma série que marcava pelas festas deslumbrantes, os cenários que deixavam qualquer pessoa a querer apanhar o próximo voo para Hollywood acaba de uma forma super estúpida! O último episódio dava perfeitamente para dar continuidade à série, mas acabar assim foi tão "poucochinho" como se costuma dizer... Estava à espera de um casamento entre o Liam e a Annie organizado pela Naomi Clark. Uma Ade, sei lá, grávida do Navid ou a partir com ele para uma super viagem. O Dixon talvez com a Silver (sim, ainda tinha essa esperança), dado o amor inquestionável que viveram no high school. E a Naomi claro com o Max ou então com um daqueles rapazes fantásticos que fazem tudo por ela e que a desafiam até ao limite (e não com uma mãe tenebrosa que lhe atormenta a vida). Enfim, para a série que foi e para o que gostava dela, fiquei desiludida com o final. Que porcaria. Quero mais uma temporada! (Vá, contento-me com mais um episódio que valha a pena!!).

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

I know it was true

Dei por mim, de forma totalmente fortuita, a recordar momentos que tinha enclausurado. A caminhada para casa, com a brisa fresca a esvoaçar-me o cabelo e o cheiro das ruas pelas quais já passámos deixou-me nostálgica. Despoletou-se em mim uma enorme vontade de reviver os nossos momentos, com conseguinte frustração por reconhecer a impossibilidade de tal acontecer. Encarcerei as memórias que tinha de ti, com a ânsia de torná-las nisso mesmo: meras memórias. A verdade é que não o são. Continua ávido o desejo de te olhar mais uma vez, não aquele olhar passageiro que se farta com uns singelos segundos, mas um olhar demorado, no qual me revejo em ti, em que as nossas bocas se calam e tudo é dito num laivo de luz. Nesses momentos não dizíamos nada, ficávamos assim; a tua mão passava lentamente sobre o meu braço e podia sentir o teu respirar contra a minha testa. Perdidos em momentos de utopia, idealizando aquela que seria a nossa vida mais que perfeita, trocávamos juras mesmo no silêncio que avassalava a atmosfera que nos consumia. Arquivar esta realidade que assim deixou de o ser há tão pouco tempo é um processo moroso que me leva muitas vezes a deitar-me na cama e a ouvir músicas que despoletam pequenas lágrimas, não de tristeza, mas de saudade. Não uma saudade infeliz, mas uma saudade saudável. Uma saudade que me permite sorrir no fim e pensar: Don't cry because it's over, smile because it happened. And we did happen. It wasn't just a summer crush or a winter fall, it was love, true love. Maybe, it still is...

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Estou apaixonada


Mas quem poderá não estar?! Ian, Ian... Partes-me o coração. [E que saia a próxima temporada de Vampire Diaries!]

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Our love

Passo e espero. Espero por um sinal de ti que diga que existe um "nós". Pode não ser agora, pode nunca ter sido de facto, mas que haja um "nós" em alguma parte da nossa vida. Não peço promessas ou juras eternas, peço momentos, pequenos laivos de alegria que me permitam guardar na memória algo de extraordinário. Não quero algo duradouro, quero algo verdadeiro. Se for contigo, tanto melhor. Connosco terá sempre um sabor agridoce, aquele travo a erro, aquela sensação de que não nos devíamos deixar levar por sentimentos obtusos que nos consomem. Na verdade, é o que acontece nesta coligação que criámos mesmo sem querer: consumimo-nos. Amamos desmesuradamente sem deixar frechas de liberdade. No fundo, somos escravos de uma paixão ardente que desconhecemos a força e vitalidade. Não obstante, tentamos acerrimamente libertar as correntes fervorosas da fúria que é esta ânsia de nos termos, vivendo vidas separadas preenchidas por sonhos opostos e ideais contraditórios. Por isso digo e repito: não quero uma vida em pleno, quero um momento, um momento inesgotável.

sábado, 6 de julho de 2013

You're my dream

Sentaste-te ao meu lado a abraçaste-te a mim. Um calafrio gelou-me por completo. Fiquei estática à espera que o meu corpo reagisse externamente, mas a única coisa que sentia era o acelerar do batimento cardíaco e o estômago enviusado. Tocaste-me na mão com uma suavidade que nunca tinha sentido e, por fim, os nossos olhares encontraram-se. Lembro-me tão bem da cor dos teus olhos, da minha imagem neles. Lembro-me do que disseste no momento a seguir: "eu nunca te vou deixar". Infelizmente guardei essas palavras vãs e cravei-as no meu coração, impregnando-as com esperança e amor profundo. 
Acordei. Abri os olhos e tu não estavas lá. Nem nunca estiveste, de facto. Gostava de te poder dizer o que sinto, sem demoras nem rodeios, sem aquelas palavras a mais que tornam o discurso sobrecarregado de empenho para te impressionar. Uma palavra bastava. E uma promessa também.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Sabes que algo está mal quando

estás a estudar História e pensas "Bem, agora vou fazer um exame de Matemática para descontrair". Matemática para descontrair? A sério Joana?

sábado, 22 de junho de 2013

10 coisas que parecem interessantes fazer quando se estuda:

  1. Olhar para a parede;
  2. Brincar com a caneta;
  3. Arrumar a secretária;
  4. Fazer bonequinhos no caderno;
  5. Espreguiçar;
  6. Mudar a mina da lapiseira;
  7. Fazer chichi;
  8. Comer o que quer que seja, preferencialmente doces;
  9. Beber água;
  10. Apreciar a proteção da secretária (sim, eu tenho uma com o mapa da Europa e distraio-me imenso).
Basicamente, quando temos de estudar, até ver uma mosca a voar (esqueci-me dessa desculpem!) nos parece a coisa mais interessante do mundo...

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Ressuscitei

Andei "morta" aqui para este cantinho que conta a história da minha vida desde há dois anos e meio. Quem me conhece bem, se ler o blog fica a conhecer-me ainda melhor. Quem me conhece mal, fica com algumas luzes. E quem me conhece realmente bem, por vezes fica confuso com coisas que escrevo. Pois, talvez, eu não seja uma pessoa linear, talvez seja confusa, complicada e tenha as ideias baralhadas. Quando aqui escrevo tento encontrar-me, tento perceber quem sou, o que quero. Daí acontecer muitas vezes começar por escrever uma coisa e no fim do texto apresentar uma ideia contrária. Sou uma pessoa antagónica, de facto.
Ando a estudar para os exames pelo que me apetece mais vir aqui ao blog. Como já tinha partilhado anteriormente, encaro o blog como uma evasão, por isso é nos momentos mais atarefados que decido tirar uns minutos para partilhar aqui a azáfama que anda a minha vida! (estudar, estudar e mais estudar...)
Gosto de vir aqui escrever quando estou mais triste, deprimida e melancólica, afogando as minhas mágoas através da escrita. Acontece que não me tem apetecido fazê-lo porque estou numa fase muito equilibrada (os meus seguidores sabem que odeio esta fase não é...). Sou apologista de que se deve experimentar o melhor e o pior, mesmo que a felicidade extrema nos conduza a um desespero sufocante. Contrario totalmente a perspectiva de Ricardo Reis que defende que devemos viver moderadamente, sem que vivamos com muita intensidade para não termos de passar pelos piores sentimentos e desgostos. Discordo. Óbvio que não gosto de sair magoada de diversas situações, mas sofrimento em prol de algo que nos faz realmente bem, nos deixa em êxtase, nos dá uma alegria quase utópica não é compensador?! Enfim, estou na fase do Carpe Diem, o que não me agrada particularmente, mas... São fases!
Agora com o Verão tenho um feeling que isso mudará...
Darei notícias com mais brevidade, promise!

quinta-feira, 20 de junho de 2013

A melhor sensação

é resolveres um exercício de matemática que parecia insolúvel ao início. Epa que êxtase.

P.S. Foi um momento nerd, indeed.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

E assim se mostra o verdadeiro amor

Já que eu ando sem inspiração por estes lados, resolvi partilhar esta notícia que li e que não podia deixar de me tocar. Assim sendo, partilho com vocês esta que achei ser das mais bonitas (e extremamente simples) provas de amor do nosso adorado (acho que posso falar assim dele!) Brad Pitt:

O ator Brad Pitt revelou ontem que a sua relação com Angelina Jolie esteve à beira da rutura e que só conseguiu recuperar a sua mulher com muitos mimos, flores, beijos e elogios.


Num texto publicado na revista americana “Identity Magazine”, sob o título “Um Segredo de Amor”, escreve Pitt:
“A minha mulher adoeceu. Estava constantemente nervosa por causa dos seus problemas no trabalho, vida pessoal e das suas falhas e problemas com os nossos filhos. Perdeu cerca de 13 quilos e pesava pouco mais de 40 quilos aos 35 anos. Ficou demasiado magra e chorava constantemente. Não era uma mulher feliz. Tinha dores de cabeça constantes, dores no peito e tensão muscular nas costas. Não dormia bem, adormecia somente de madrugada e cansava-se muito durante o dia. A nossa relação estava à beira da rutura. A sua beleza começava a abandoná-la. Tinha papos debaixo dos olhos, andava sempre desgrenhada e parou completamente de cuidar de si. Recusava trabalhar no cinema e rejeitou vários papéis. Perdi a esperança e pensava que nos divorciaríamos em breve… 
“Foi então que decidi tomar algumas medidas. Afinal, eu tenho a mulher mais bonita do mundo. Ela é a mulher ideal para metade dos homens e mulheres do planeta e eu era o único a ter o privilégio de adormecer ao seu lado e de poder abraçá-la. Comecei a mimá-la com flores, beijos e muitos elogios. 
Surpreendia-a e tentava agradá-la em todos os momentos. Enchi-a de presentes e comecei a viver apenas para ela. Só falava em público a seu respeito e relacionava todos os assuntos com ela, de alguma forma. Elogiei-a a sós e em frente a todos os nossos amigos. 
“Podem não acreditar, mas ela começou a renascer, a florescer… Tornou-se ainda melhor do que era antes. Ganhou peso, deixou de andar nervosa e ama-me ainda mais do que antes. Eu nem sabia que ela podia amar tão intensamente. E então percebi: ‘A mulher é o reflexo do seu homem’”.

Retirado daqui

segunda-feira, 3 de junho de 2013

terça-feira, 21 de maio de 2013

Descobri a resolução para os meus problemas de desconcentração:

Estudar na casa da avó. Sem computador, internet, com a porta fechada e a luz natural a iluminar a sala. Condições perfeitas para uma longa (e extenuante) tarde de estudo. Ao menos foi produtivo. A repetir amanhã. E talvez depois. E quem sabe... Até ao fim da época de Exames.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Só sei que nada sei

Hoje senti a falta disto. Hoje. Agora. Neste preciso momento. Provavelmente não vou escrever grande coisa porque, na verdade, o que quero dizer não pode (ou não deve) ser partilhado.
A questão é que nada está como devia estar. Parece que tenho o mundo do avesso, que já não me reconheço nas minhas próprias atitudes. Faço as coisas sem pensar, e quando penso que penso, penso mal. Precisava dos velhos dias, de arrumar a cabeça, precisava das velhas pessoas e dos velhos conselhos. Talvez esteja perdida e precise apenas de me reencontrar nisto que se tem tornado um cenário que já não reconheço como a minha vida. O meu dia-a-dia, o rumo que a minha vida tem vindo a levar... Esta não sou eu. Despersonalizei-me na tentativa furtiva de me encontrar e agora deparo-me com a fragilidade dos meus vários "eu's" dispersos por quem já não sou. Enfim, o meu mal deve ser sono (oxalá fosse...)

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Ausência

Sei que não tenho escrito. Não por falta de tempo, mas por ter tempo a mais. Como sempre considerei este cantinho um escape e tenho tido muito tempo livre, não venho tanto aqui. Por outro lado também não tenho tido grandes novidades. Confusão é a palavra que define a minha vida nos últimos tempos. Vou tentar ter inspiração para escrever qualquer coisa. Até lá... Bem, espero que tenham paciência!

quinta-feira, 18 de abril de 2013

segunda-feira, 15 de abril de 2013

As relações em segredo são as melhores

Digo isto porque a inveja, a desconfiança e a mesquinhez são inerentes ao ser humano e estão impregnadas na sociedade. Todas as relações despoletam emoções por parte dos amigos, conhecidos e até mesmo desconhecidos; uns ficam felizes com a nova união, outros ficam com um ódio de morte. A verdade é que é quando nada se sabe, quando a relação diz respeito apenas aos intervenientes que o relacionamento corre melhor, pelo simples facto de não haver terceiros a interferir entre o casal. Os "diz que disse" matam qualquer relação quando levados a longo prazo, por muito que os queiramos ignorar, mais cedo ou mais tarde eles começam a gerar dúvidas e desconfianças e, por conseguinte, os alicerces do relacionamento são postos em causa. Claro que chega a um certo ponto que temos necessidade de partilhar com o mundo a nossa felicidade, o quão felizes estamos ao pé do nosso "mais que tudo", todavia após passado esse processo os inconvenientes são muitos mais do que o feedback positivo que recebemos.
Tenho para mim que uma relação deve ser assumida e partilhada quando está já sólida, quando os dois estão em perfeita harmonia e sabem bem o que querem. Não quero com isto dizer que as coisas devem ser feitas às escondidas, claro que os amigos mais próximos sabem, no entanto o "numa relação" no facebook pode vir a estragar muita coisa. Aliás, o facebook, os asks, o twitter e etc têm vindo a estragar muitas relações porque apenas contaminam algo que muitas vezes está perfeito. Inventam mentiras, reavivam coisas arquivadas do passado e verdade seja dita que por muito que se pense "se me vierem dizer alguma coisa, eu não vou acreditar e confiar nele/a", a dúvida é inerente à condição humana e desde o momento em que nos contam alguma coisa, por muito utópica que seja, isso marcar-nos-á e provocará desconfiança.
As meninas de 15/16 anos adoram colocar essas coisas no facebook e claro, eu com 16 anos também gostava. Agora com 19 as coisas começam a ser vistas por um prisma diferente! A ideia de que só é oficial quando o facebook diz que é torna-se cada vez mais ridícula, mas enfim. O fim de relacionamentos que acontece por causa dessas redes sociais só vem corroborar a minha teoria: "secreto" é melhor.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Eu tenho um grande defeito:

acreditar que as pessoas dizem sempre a verdade.

terça-feira, 9 de abril de 2013

Ridículo

Fui correr e agora só me apetece comer. Incongruente, não?!

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Depois de ver estas imagens, confesso, fiquei feliz!

Não é para ser má, mas vimos aquelas divas nas revistas e ficamos com uma inveja de morte dos corpos esculturais, no entanto as fotos ao "natural" mostram que a imperfeição toca a todos [Graças a Deus!!]

Heidi Klum


Jennifer Aniston


Jennifer Lopez


Alicia Keys


Cameron Diaz


Mischa Barton


Tara Reid


Mais *aqui*

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Amor é...

... o meu irmão receber 4 marshmallows e dar-me 2! ahah

Está tudo de pernas para o ar


Estão a ver a vida que tinha há um mês atrás? Está tudo diferente. Tudo em todos os campos. Continuo a fazer o curso de Ciências Farmacêuticas, mas desta vez apenas duas cadeiras - Histologia e Embriologia e Bioestatística. E porquê?, perguntam vocês. Porque tinha intenções de mudar para Medicina. Acontece que o sonho de Medicina não é realmente um sonho meu, é talvez alguma coisa que se impregnou no meu subconsciente: "Se sou boa aluna tenho de entrar em Medicina", estupidez eu sei, mas mesmo assim era o que queria, ou pensava que queria. Como já aqui partilhei, tinha uma boa média interna para entrar, acontece que cheguei aos exames nacionais e derrapei por completo, consequentemente não entrei neste curso. A minha propensão para ciências não deriva de um gosto inerente à minha condição, advém sim de um preconceito por mim e por tantos outro formados, que graças a Deus se começa a perder, que é "quem tem capacidade vai para o campo das ciências, porque letras é fácil". De facto, letras é mais acessível que matemática, que física ou que química, mas eu sempre quis ser extraordinária e não ordinária. Sempre quis que o meu nome soasse na história, porque morrer todos morremos, a nossa condição deveria ser apenas lutar para que o nosso nome não vegete com o nosso desaparecimento. Não digo que isso aconteça, mas digo que quero lutar para que assim o seja. E, nesta perspectiva, nada se identifica comigo em Medicina. A única área que me causa algum deslumbramento é realmente a Psiquiatria por se prender com os desígnios da mente, já que é das coisas que mais admiro num ser humano, contudo nenhuma das outras áreas me cativa. Não consigo ver sangue, não sou boa a lidar com pessoas, não tenho estrutura emocional para ver pessoas a morrer, feridas ou a gritar. Por outro lado, o meu fascínio prende-se com as letras, com as línguas. Via-me muito mais num tribunal a defender um caso indefensável do que num hospital de bata branca a medicar pessoas. Talvez este meu desejo por Medicina tenha uma pitada de "anatomia de grey", todavia nunca conseguiria ser cirurgiã, por mais estupenda que ache a especialidade, não é pena mim. Assim sendo, penso seguir Direito. Um desencontro total de tudo o que tinha pensado até agora, mas um futuro em que me vejo mais realizada. Sei que num curso destes posso brilhar - ou tentar pelo menos - enquanto num curso de ciências seria apenas mais uma aluna mediana. Não é o futuro que quero para mim, eu quero excepcionalidade, mas digo que é com pesar que abandono o campo das ciências, pelo qual nutro um enorme apreço. Enfim, até ver é para o que estou motivada.
"E o que está mais diferente na tua vida Joana?", perguntam. Bem, no campo do amor, tudo mudou. No campo familiar também houve alterações. Mas está tudo bem. Cada vez melhor em ambas as coisas. Estou mais feliz do que estava há uns tempos atrás. Novas pessoas têm-me feito bem, e agora não procuro nada, sei que algo estará com certeza reservado para mim. I'm just waiting.

terça-feira, 2 de abril de 2013

Facto

Depois das férias é como se já não soubesse pegar na caneta, nem escrever. Sad, but true!

quarta-feira, 27 de março de 2013

Meu amor


Por ti dava o mundo
Bastava que me desses o teu coração
E mergulhasses no meu amor sem fundo,
Alimentado por chamas de ilusão.

Mas negaste-me o simples gesto de me olhares
E dizeres que o nosso amor findou
Porque tu, mesmo sem falares
Foste aquele que nunca me amou.

Gostava de te poder dizer com veemência
Que já não tens qualquer significado
E que o meu peito está em dormência
Da dor que foi ter-te amado.

Mas a verdade é que te amo como amei desde a primeira vez
Em que me disseste com o coração aberto
Vem, meu amor, que seremos três
E daremos este amor ao descoberto

A ingenuidade levou-me a acreditar
Que as tuas palavras eram genuínas
E que jamais me irias deixar
Abandonada naquelas colinas.

Mas fizeste-o sem dó nem piedade
Deixando-me somente com a saudade
E com as lembranças que trago comigo
Neste porto onde não tenho abrigo.

Ah, mas se eu te pudesse mudar,
E te mostrasse o meu amor de perdição
Virias louco por desejar
Devolver-me teu coração.

Sentada permaneço à tua espera,
Mesmo sabendo que não irás voltar
Sempre te fui sincera:
Eu nunca vou deixar de te amar.

Joana Filipa

segunda-feira, 25 de março de 2013

Tumblr

Rendi-me aos encantos do Tumblr e digo-vos, estou a adorar. Aquilo é viciante, giríssimo! Para quem me quiser seguir neste meu novo cantinho aqui fica - The Sound of Life.

Desculpem mas...

... alguém sabe onde se encontra vontade para estudar?!

domingo, 24 de março de 2013

My life | Fotos

1. Uma foto tua

2. Uma foto engraçada

3. Uma foto que te guarde boas recordações

4. Uma foto que seja importante para ti

5. Uma foto com uma pessoa de família

6. Uma foto com a tua melhor amiga

7. Uma foto das férias de Verão

8. Uma foto das férias de Natal

9. Uma foto de alguém que tenhas saudades

10. Uma foto que te faça sorrir

<3

sábado, 23 de março de 2013

A vida de uma adolescente

Não temos a inocência de uma criança, nem a experiência de vida de um adulto. Temos as hormonas descontroladas e uma ânsia de viver inigualável. É uma idade de decisões importantes, decisões essas que irão influenciar todo o nosso futuro. Podemos, na idade adulta, tentar emendar erros cometidos na idade da loucura, mas não será a mesma coisa. É aqui que temos de ser fortes o suficiente para abdicarmos de certas coisas e nos concentrarmos noutras. Abrir mão da felicidade instantânea e pensar na felicidade a longo prazo. Por vezes, é difícil. É complicado pensar que o nosso enorme problema deixará de o ser daqui a um mês ou dois. Eu sou daquelas pessoas que deprime, que desiste, que deixa de encontrar razão no que faz se alguma adversidade a deita abaixo. Este ano de 2013 não tem sido nada fácil - talvez pela minha enorme superstição com o número 13 -, mas a verdade é que se me pedirem para dizer uma coisa boa que já me tenha acontecido desde o dia 1 de Janeiro de 2013... Eu não consigo dizer. Estou num curso que não gosto, com pessoas com quem não consigo ter um elevado grau de intimidade, talvez por vê-las poucas vezes, não sei, o meu avô tem uma doença grave e no campo do amor, bem, é melhor nem entrarmos por aí porque seria o descalabro total. Há toda uma instabilidade que recai sobre mim, como se eu já não conseguisse perceber quem sou, o que quero, pelo que luto. Basicamente, vivo atrelada a um passado que me proporcionou dias de felicidade intensa e a um futuro que vislumbro tudo menos risonho. Será isto apenas uma fase? Eu espero que sim e espero sobretudo ter a força necessária para a ultrapassar. Vá agora não liguem ao que disse e me venham perguntar "o que se passa Joana?!?". Só me apeteceu desabafar e, em vez de ouvir música como a maior parte dos jovens, escrevo.

quinta-feira, 21 de março de 2013

O Fim da Inocência


Li este livro há pouquíssimo tempo e em apenas dois dias, aconselhado por uma colega da faculdade que só me dizia «tens de ler, eu nem te sei descrever aquilo». Depois de ler, percebi o que ela quis dizer...
É o diário secreto de uma jovem portuguesa escrito por Francisco Salgueiro que retrata a sua vida desde a infância até aos 17 anos.
O livro é aconselhado a pais e educadores e diz ser a realidade dos jovens da geração de 90, por isso tive curiosidade em saber o que diria aquilo que a minha mãe supostamente deveria ler. Ridículo, é a palavra que me ocorre. A rapariga é de um colégio XPTO de Cascais e os seus amigos são todos da alta sociedade e recheados de dinheiro. Eu, pelo menos, não sou assim. Sou da classe média, não vivo com luxúria em demasia, mas também não me posso queixar. Não sou daquele meio social, de todo. Não sei se é por isso que não me identifico, em parte nenhuma, com o que este livro diz. Sexo, drogas e loucura são as palavras de ordem ao longo de todo o desabafo da "Inês". Não querendo contar a história para não estragar o suspense caso o queiram ler, a narrativa baseia-se, muito sucintamente, na vida louca de um grupo de amigos desde os 10 anos até ao fim do secundário. A "Inês" afirma que, já com 12 anos era natural os amigos iniciarem a sua vida sexual e que ela, para o grupo, já foi tarde, inciando-a com 14! Fiquei estupefacta. Eu com 10 anos brincava com as bonecas e mal sabia como se faziam bebés, com 12 nem sequer pensava em rapazes e com 14 anos idem idem aspas aspas. Isto é só o início porque o resto da vida da rapariga sucede-se sempre com uma história pior que a outra. O que me escandaliza mais é que ela frequentava os mesmos lugares aos quais eu vou hoje em dia e não fazia a mais pálida ideia do que se passava naquilo que eu considerava "discotecas normais".
Toda a história é uma lição de vida, alerta para vários perigos e penso que a mensagem dela é completamente passada ao leitor, pois ela quer, com a sua história, evitar mais hipotéticos casos iguais aos dela. No entanto, se os tais "pais e educadores" se põem a ler aquilo devem achar que somos todos e todas assim. E não somos!!! Eu falo por mim e pelo meu grupo de amigos, pelo menos os mais chegados, tenho a certeza absoluta que não fazem aquelas coisas que ela descreve como sendo generalidades da nossa geração de 90.
Tenho para mim que esta realidade que a "Inês" descreve se passa em meios sociais muito elevados, onde dinheiro é um fartote e por isso querem experimentar tudo e vivenciar todas as experiências ao máximo e, por isso mesmo, chega a uma altura que sentem falta de mais adrenalina. Visto que o dinheiro não é, de todo, um problema, acabam por tê-lo para as drogas típicas das discotecas: cocaína, ecstasy, etc.
Enfim, não é uma grande história, não é um livro que nos deixe com excelentes recordações, mas eu gostei de ler, tanto que o li muito rapidamente. Apenas fiquei super chocada com a maior parte das coisas que li porque aquilo ali retratado não é o meu mundo nem a minha realidade.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Amor é quando...


eu tenho saudades tuas? Espero por uma mensagem que não vai chegar? Anseio que me toques à campainha mesmo sabendo que isso não vai acontecer? Recordo os momentos que passámos com um sorriso? Penso nas palavras que trocávamos e limito-me a chorar? Olho para as nossas fotos e de imediato a nostalgia toma conta de mim? Retraio a vontade imensa de te falar? Me imagino somente contigo daqui a 50 anos? Sonho com os momentos que acabámos por não ter? Sinto um frenesim cada vez que me tocas? Amor é tão simples, não é? Não, não é... 

domingo, 17 de março de 2013

Coisas abomináveis

Cheiro a tabaco no cabelo. Mas que nojo. Odeio! Cheguei às 6 e tal da manhã a casa, por isso não ia lavar o cabelo a essas horas, mas atei-o para dormir e hoje tenho de o lavar. É horrivel o cheiro do tabaco entranhado no cabelo, até fico mal disposta. Urr, é a pior coisa de uma saída - este cheiro detestável.

sábado, 16 de março de 2013

Alerta post de "gaja"

Ontem fui ao Almada Fórum ver a nossa querida nova loja: a KIKO! Está linda, perfeita, muito parecida com a do Chiado em termos de organização e disposição dos produtos. Cheia de glamour e coisas giríssimas. Trouxe um batom vermelho que já andava para comprar há anos e a um preço super acessível. É muito giro, vermelho vivo e não deixa os lábios secos (odeio aqueles batons que me fazem sentir que tenho batom!!). Passem lá, faz as delícias de qualquer mulher! Bem-vinda à Margem Sul, KIKO.

sexta-feira, 15 de março de 2013

Quero desesperadamente...

... SOL. Não sou daquelas pessoas que odeia fervorosamente o Inverno e o acha abominável e afins aliás, até gosto bastante de estar com uma manta sobre as pernas a ver um filme com umas bolachas no colo e um chá quente em cima da mesa a ouvir chover lá fora. E gosto do aconchego à noite debaixo dos meus lençóis polares e dos meus 3 cobertores. Mas isso é bom durante 2 mesinhos... Dá bem para matar a saudade. O que eu gosto mesmo é do Verão, dos dias de sol, de praia, de actividades ao ar livre, de água gelada em dias tórridos. Que saudades de dar um mergulho na praia, na piscina, de ir correr com o sol fresco da manhã. Enfim... Já ando a sonhar com os meus dias de papo para o ar na praia.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Rapazes, quando virem uma rapariga a correr, é isto que lhe vai na cabeça:

FINALMENTE

Estou a pôr em prática tudo o que disse neste post, excepto as amêndoas vá, eu admito, mas de resto prometo que estou a cumprir as minhas decisões à risca! Hoje já fui correr, cheguei agora a casa derreada, suada, cansada, estafada, com as pernas semi a tremer (ahah) e a respiração moderadamente ofegante! Agora é um belo banho e depois a tarde promete!

quarta-feira, 13 de março de 2013

Les Misérables


Sinceramente, nem sei por onde começar. Arrebatador, estonteante, soberbo, fascinante, eu sei lá! Eu não gosto de musicais, não sei porquê, nunca me fascinaram e, por isso mesmo, as pessoas que me conhecem não mo aconselharam. Todavia, depois de ver o trailler e da Anne Hathaway ter ganho o óscar com este filme, prometi a mim mesma que o teria de ver. E adivinhem? Amei. Mas de uma maneira como já não gostava de um filme há muito tempo. Por isso, mesmo quem não gosta de musicais que experimente, que dê uma chance a este filme porque realmente ele está qualquer coisa de magistral. O elenco é irrepreensível, começando pelo Russel Crowe que, apesar de não ter grande voz, mostrou aqui uma versatilidade que nunca tinha visto neste actor cuja expressão é sempre rígida e, imaginá-lo a cantar, não me passava pela cabeça, quanto mais consumar o facto de ele ser realmente brilhante em tudo o que faz e esta personagem só veio corroborar isso mesmo. Hugh Jackman perfeito, dos pés à cabeça. Não vi o Lincoln, mas deve estar realmente irrepreensível para não ter sido o Jackman a ganhar o óscar de melhor actor. Anne Hathway teve o óscar merecidíssmo, o papel que desempenhou aqui fez jus ao mérito reconhecido pela academia. Para além de ter uma voz lindíssima - já a tinha ouvido cantar no filme Ella Encantada - nesta personagem aglomera todo o seu carácter e potencial enquanto actriz. Amanda Seyfried linda, simples, singela. É uma actriz que não tem uma enorme projecção, mas sou apaixonada por ela, desculpem, acho que ela tem uma beleza rara e aqui surpreendeu-me com os seus dotes musicais. Eddie Redmayne, talvez o nome menos conhecido da lista até agora, também ele me deixou boquiaberta. Tinha visto a prestação dele numa série chamada Os Pilares da Terra e não dava grande coisa por ele, verdade seja dita, mas digo-vos - adorei! Por fim Helena Bonham Carter perfeita neste papel, destrambelhado como ela mesma. Surpreendeu-me pela positiva, penso que aquele lado mais obscuro que nela conhecemos foi um pouco posto de lado, o que lhe permitiu uma prestação perfeita neste musical.
Já podem ver que, só pelo elenco, se espera o melhor dos melhores. E é mesmo isso que terão. Partes cómicas, partes que cortam a respiração, partes que nos comovem... Há de tudo! Quanto ao enredo em si está uma história brilhantemente arquitectada (que obviamente não quero desvendar!). Toda a mensagem subjacente ao filme é totalmente transmitida à audiência e, sem dúvida, merece todo o nosso reconhecimento.
Pela extensão da minha crítica, penso que podem imaginar a qualidade deste musical nomeado para o óscar que, infelizmente, não ganhou. Vejam, não se arrependerão, mesmo quem não gosta de musicais. É avassalador!
Nota: 10

terça-feira, 12 de março de 2013

Mas que burra

Hoje perdi-me duas vezes no metro. Não sei onde tinha a cabeça, sei que entrei mal DUAS vezes. Verdade que fiz um caminho diferente, mas caramba, que parva. E depois corri que nem uma desalmada para apanhar o barco. Depois de um almoço que me deixou suuuuper cheia, quando cheguei ao barco as pernas até tremiam e o coração não me saltou pela boca por um triz - perceba-se a exacerbação - enfim, vou correr amanhã, está decidido. A minha capacidade cardiovascular está muito aquém do que era (e a cognitiva pelos vistos também!!!)...

segunda-feira, 11 de março de 2013

Decisões importantes:


  1. Começar a ir correr - não mexo o rabiosque há que tempos - que falta fazem as aulas de Educação Física - por isso decidi que vou começar a ir correr aqui ao pé da minha casa que dá perfeitamente! Para ver se no Verão estou em forma!
  2. Resistir às amêndoas - eu sou louca por amêndoas de chocolate mas já lá vão 3 pacotes em duas semanas e não pode ser! Quando começo simplesmente não consigo parar e depois a barriga é que sofre! Sabem as pessoas que pesam mais uns quilinhos no Natal? Eu é na Páscoa!;
  3. Fazer um plano de estudo A SÉRIO - já chega de mandriar, afinal de contas este ano é crucial para decidir a minha vida e a partir de hoje vou fazer um plano de estudo - que espero conseguir cumprir - e seja o que Deus quiser!;
  4. Arrumar o passado na gaveta - acabou de estar constantemente a regressar a tempos passados, o que foi, fica lá e agora é pensar somente no futuro;
São estas as minhas resoluções para os tempos vindouros, as quais tenciono cumprir. Lets move on.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Sentimentos contraditórios

Sabem quando não querem uma coisa, mas sabem que têm de a fazer? É isso que se passa neste momento. Não quero, juro que não quero, até porque já se passou tanta coisa, passou tempo suficiente para marcar, para deixar réstias de memória. Mas às vezes o "querer" não é tudo. Há atitudes que têm de ser tomadas e os acontecimentos mais recentes vieram corroborar a minha teoria de que não vale, de todo, a pena. Saí do meu porto de abrigo e andei à deriva, perdida, sem rumo, aliás não sei quando vou recuperar a minha rota, o que irei fazer, para onde seguir, mas sei o que não quero. Sei do que estou farta, cansada, dilacerada. Chega a um ponto que temos de dizer basta, pois mais do que gostar de outra pessoa, temos de gostar de nós. Um dia vou ganhar novo rumo, vou reencontrar-me. Afinal de contas, todos nós temos uma oportunidade que não podemos, de todo, deixar escapar. Só que eu tendo a insistir em casos perdidos, na esperança cega de que algo mude. Mas nada muda. Nós é que temos de mudar e eu? Virei a página. For real.

quarta-feira, 6 de março de 2013

Desilusão

Sou daquelas pessoas que dá tudo, que confia, que se entrega. Não sei, sou assim. Espero, talvez, demais das pessoas e do que elas me podem dar. Conto pelos dedos de uma mão as pessoas que sei que não vão falhar. Se calhar levo demasiado a sério esta brincadeira que é a vida, mas sou mesmo assim: ingénua e sensível...

segunda-feira, 4 de março de 2013

Amo incondicionalmente

Sou uma apaixonada nata, apaixonada pela vida, pelo amor, pelo romance... Mas não é fácil eu apaixonar-me perdidamente por alguém. Todavia, quando amo, amo de verdade. E quando o sentimento é verdadeiro, genuíno, puro não consigo nem por nada deste mundo deixar de amar. Há pessoas que entram na minha vida e entram de tal forma no meu coração que não as consigo retirar nem por nada. No entanto consigo afastar-me, consigo viver com a minha dor, consigo ser racional ao ponto de viver de sonhos - que incongruência, eu sei - mas acreditem, há racionalidade suficiente para viver daquilo que não se gosta e sonhar com aquilo que se ama. Se sou uma pessoa sã? Não sei. Mas habituei-me ao "longe da vista, longe do coração"... E acredito fervorosamente que o amor verdadeiro existe, não como num conto de fadas, mas como uma brilhante comédia romântica.

sexta-feira, 1 de março de 2013

Bob Marley diz:

«As vezes construímos sonhos em cima de grandes pessoas... O tempo passa... e descobrimos que grandes mesmo eram os sonhos e as pessoas pequenas demais para torná-los reais!»

E nós? Nós estamos cá para chorar o que tem de ser chorado e depois limpar as lágrimas e seguir em frente. That's life!

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

E quando vou para chorar penso...

que importância vai isto ter daqui a 5 anos? Nenhuma. E aí sorrio e sigo em frente.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Miscelânea sobre os Óscares

Estive a ver os Óscares e, como gostava de abordar várias vertentes, vou dividir este post em assuntos! Assim falo de tudo o que gostaria sem ter de fazer vários posts e sem emaranhar tudo num texto corrido. Então aqui vai:

  1. Jennifer Lawrence VS Naomi Watts e Emanuelle Riva como melhor actriz principal - Fiquei desiludida. Não vi o filme Amour, mas pelas pequenas apresentações que foram surgindo e pelas críticas muito positivas que li anteriormente não só à produção fantástica do filme como também ao soberbo papel de Emanuelle Riva esperava que fosse esta actriz a ganhar o Óscar. Vi o Impossível com a brilhante interpretação da Naomi Watts e fiquei fã desta actriz desde que vi aquele papelão! Vi, claro, o Guia Para Um Final Feliz e achei um filme muito rudimentar, com poucas surpresas, uma história não muito brilhante, não sei, pode ser apenas a minha falta de cultura cinematográfica que não dá o devido valor à Jennifer... Penso que não fez nenhuma interpretação brilhante e digna da estatueta dourada... Não que a ache má actriz, nada disso, aliás gostei imenso da sua prestação nos Hunger Games! Apenas, não sei, penso que ser galardoada quando está lado a lado com senhoras que tiveram um papel fabuloso como a Naomi e a Emanuelle, parece-me a mim, leigamente falando, injusto. Quanto às outras nomeadas não tenho ideia nenhuma das suas prestações, por isso não me posso manifestar. P.S. Gostei imenso da miúda de 9 anos nomeada, não conheci o trabalho dela, mas pelo pouco que mostraram, a minha vénia, que espectáculo.
  2. Anne Hathway como melhor actriz secundária - Já conheço o trabalho desta lady há um tempo, começou com filmes sem grande projecção, coisas de princesas e encantamentos e etc, basicamente filmes de sábado à tarde e eis que ganha este óscar cheia de pujança, com suor e lágrimas e muito, muito talento. Não vi o Les Misérables, mas passou a ser um must watch desde a gala dos óscares. A verdade é que nunca fui extraordinariamente fã de musicais no entanto, este merece ser visto. Mais que não seja pela curiosidade de ver o papel da Anne, do Hugh e da Amanda! Penso que este óscar foi muito merecido pelo pouco que vi do filme e pelo muito que ouvi falar. Fiquei felicíssima por ela!
  3. Kristen Stewart, a eterna mosca morta - Mas que figura foi aquela que foi fazer para dizer os nomeados? Por amor de Deus, já para não falar do cabelo péssimo, horrendo e completamente ascoroso para uma gala daquela envergadura, ainda foi a coxear e com um ar de frete que nossa senhora. Eu já lhe tenho um ódio de morte e, depois de figuras como aquelas, ele só cresce! Estava a dizer o que tinha a dizer com uma cara de enjoo, um ar de suplício que não se viu em mais ninguém! Não compreendo esta menina, juro que não.
  4. Morte de Michael Clarke Duncan - Não sabia que este actor tinha morrido e fiquei estupefacta quando vi a imagem dele a passar na TV dos tributos às figuras de Hollywood que já nos tinham deixado. Gostei imenso dele no filme A Ilha e também no Rei Escorpião (são os que me recordo de momento) e pronto, não tem muito a ver com os óscares, eu sei, mas achei que devia mencionar aqui este grande actor que nos deixou cedo demais.
  5. Charlize Theron, a princesa da noite - Aquela dança maravilhosa, aquele vestido magnifico, meu Deus fiquei extasiada! Mesmo não gostando de a ver de cabelo curto (mas eu sou mesmo anti cabelos curtos), penso que ela estava linda de morrer, uma princesa! E claro, o momento em que dançou com o tão adorado Channing foi magistral. A doçura, a simplicidade, a elegância. Fiquei rendida aos encantos desta senhora de Hollywood.
  6. Família e profissão - Reparei que todos os galardoados tiveram o cuidado de agradecer não só àqueles com quem trabalharam diariamente e que permitiram o sucesso que obtiveram e consequente reconhecimento, como também à família, nomeadamente ao husband and wife. Todos eles, ou praticamente todos, agradeceram o prémio àquela pessoa que partilha a vida com eles, que os apoia, os ajuda e aconselha. Àquela mesma pessoa que escolheram para viver a seu lado todos os dias das suas vidas. A prova irrefutável de que o amor e o sucesso a todos os níveis estão intimamente relacionados.
Celebremos o amor, o sucesso, as vitórias e as derrotas, afinal de contas são estas coisas que fazem com que o nosso dia a dia seja melhorado e são estes actores, produtores, realizadores, encenadores e todos aqueles do mundo do espectáculo que nos permitem ter passatempos, viajar para novas realidades. Aos Óscares de 2013 que foram brilhantes.
P.S. Não vou falar do melhor filme porque ainda não o vi, mas tenho definitivamente de ver! Um filme galardoado com um Óscar merece sempre ser visto. E quanto a ser a Michelle Obama a anunciar o Óscar, adorei.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Man of my life

Há segredos que a vida guarda que eu desconheço totalmente. Não consigo compreender vários porquês. Se eu quero e tu queres porque é que não resulta? Porque é que existem factores externos que não deixam que levemos a cabo algo que já construímos há tanto tempo atrás? Fico a olhar para as fotos, para os textos escritos e sinto que é tudo tão verdadeiro... Às vezes tento imaginar o futuro e não consigo fazê-lo sem que faças parte dele. É que, por mais episódios que a minha vida tenha tido, tu és o episódio final. E quando penso na pessoa que me espera no altar, penso em ti. E na pessoa que me fez mais feliz, penso em ti. Às vezes acho que o que me falta é força. Mas sempre fui assim, sabes? Nunca lutei muito pelo que queria, sempre preferi aceitar o fim quando não dá. Contigo é diferente. Tento seguir em frente, tento que tudo pareça bem à minha volta, mas a verdade é que não me desprendo de ti, de nós, do que fomos e poderíamos ser. A vida dá muitas voltas, tantas! E eu acredito no destino, que duas pessoas estão destinadas a estarem juntas. E que só há uma cara metade para cada um de nós. Sabes aquele brilho nos olhos quando se fala de uma pessoa? Elas dizem que só o tenho contigo. A vida dá-me pistas de que erro, sussurra-me o que devo fazer, mas eu ignoro, na esperança de encontrar a felicidade sem tanto esforço. No entanto, quando me deito na almofada, mesmo antes de adormecer, vejo-te à minha espera de smooking e com a mão esticada e, quando os nossos olhares se tocam, eu sinto que posso dormir em paz, porque tu estás sempre comigo, mesmo que não estejas.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Amor é...

quando ele passa uma hora na Douglas comigo a escolher uma sombra sem fazer birra e a ajudar-me!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

"Prostituição" nos dias de hoje

Continua a haver a típica prostituição, é claro, a mais velha profissão do mundo. Contudo é da "prostituição" que estou a falar. Raparigas (e rapazes também!) que se oferecem a troco de nada. E, quando dizemos que uma rapariga é vadia, porca, oferecida e etc etc se, por vezes, é por inveja, que também as há, outras é porque elas realmente (e digo elas porque, infelizmente, a rapariga que anda com muitos ainda é tida como porca e ele como garanhão) são umas valentes levianas. E estas novas "prostitutas" são de graça, dão-se com tal facilidade que eles nem têm de se esforçar muito. Não se importam de ser "a outra", aquela que é utilizada para eles traírem as namoradas quando estão fartos do tédio da relação. E, como geralmente estas personalidades devem pouco à inteligência, ainda se acham as maiores porque foi com elas que ele traiu a triste que ficou em casa à espera da mensagem a dizer "amo-te muito", mas não, queridas, vocês são somente usadas como objecto sexual, como simples instrumentos que os fazem sair da rotina porque, à noite, não é em vocês que eles pensam, mas sim naquela rapariga certinha, querida e com cabeça com quem eles se imaginam o resto da vida e não com vocês. Contudo lá está o acefalismo em evidência - vocês acham-se as mais importantes quando, na verdade, são nem mais nem menos que a escapatória. E, claro, o melhor disto tudo é que eles agora não precisam de pagar, têm tudo de borla, muitas vezes até com insistência das ditas "mulheres" que se esbanjam no leito deles sem que eles tenham de mexer um dedo. A facilidade nunca cativou nenhum homem, meninas, todo o homem (que é homem!) gosta de mulheres que dão luta, que são difíceis, que não se entregam logo, que os faz ter de lutar e dar valor. Todavia, isto é difícil de entender para meninas que estão sedentas de serem as mais populares, as mais conquistadoras, as que têm mais likes no facebook (lol). Geralmente, estas ditas cujas não suportam a felicidade alheia, intrometem-se na vida dos outros, já que a delas é a pobreza que se vê, e não suportam os sorrisos, a felicidade, o amor vivido por um casal porque, no fim, elas não sabem o que é ser amada como a principal, somente usada como "a outra"...

Letters to Juliet & Leap Year

Letters To Juliet


Vi este filme há pouco tempo e gostei. É um típico filme romântico para uma tarde em que não temos nada para fazer. Não o posso considerar uma fabulosa produção cinematográfica, não obstante tem uma história que me encantou: a busca de um velho amor. Sem querer desvendar muito acerca do enredo posso dizer-vos que terá muitas surpresas, do início ao fim. Conta ainda com a participação de uma actriz que tenho vindo a gostar imenso: Amanda Seyfried. A rapariga com aquele seu ar dócil tem vindo a fazer as minhas delícias desde o filme Dear John e agora contracena com um galã que também é qualquer coisa! Quem gosta de um romance sem grande adrenalina, mas com muito amor, aconselho este filme.
Nota: 6

Leap Year


Este filme e o que ainda acima falei têm uma semelhança engraçada e achei particularmente piada derivado de ter visto um deles depois do almoço e outro ao final da tarde, um a seguir ao outro, e tocarem-se naquele ponto fulcral (se virem os dois, perceberão!). Mas isso não tem necessariamente a ver com o filme. Portanto, gostei menos deste do que do acima mencionado, para já porque este foi produzido nos cenários da Irlanda que, como penso que sabem, é um país chuvoso, enublado, escuro... E esse tempo encoberto não me seduz como fundo para a acção. Todavia, a história está também ela caricata, mas muito previsível. É também uma história de amor porém, contrariamente ao Letters To Juliet em que se nota que ele e ela estão caidinhos um pelo outro, neste penso que a interpretação dos actores está um pouco fraca. Resumindo: não gostei tanto, comparativamente.
Nota: 5

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Derreada

Hoje foi dia de praxe. Retomei a vida universitária as 8h da manhã e só tive descanso por volta das 18h! Já não fazia tanto exercício físico em alguns meses: eu era flexões, eu era abdominais, eu era elevações, eu era correr, eu era rastejar... Eu sei lá! Estou extenuada, preciso de uma boa noite de sono e amanhã voltamos ao novo ritmo.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Sweet nineteen

Fiz 19 anos na passada terça feira, dia 12 de Fevereiro, pelo que fiz o jantar de aniversário no sábado passado. Queria agradecer a todos os que foram, gosto muito muito muito de vocês meus príncipes e princesas: Cátia, Marta, Andreia, Zé, Igor, Daniel, João Mendes, Belinha, Jaquim, Rendas, João Diogo, Nuno, Gameiro, Inês, Catarina e Mariana! São os melhores! Gostava de partilhar com os queridos seguidores algumas fotos da noite! Eu sou a menina de vestido preto com brilhantes! ahah










Thank you all, love you <3

Gosto mesmo


de surpresas. Acho que já disse isto aqui, mas volto a dizer, adoro surpresas. Adoro quando me fazem uma surpresa. Mas gosto tanto, tanto...!

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Sondagem Nº 36 - Qual destas personalidades mais te inspira?

Achei, por graça, averiguar que personagem mais inspira aqui os meus visitantes. Aqui deixo os resultados das vossas opções:


  • 1º lugar - Fernando Pessoa - 17 votos - 29% da votação - Dispensam-se apresentações para este senhor (acho que também foi a minha opção!). O maior génio da literatura portuguesa, a meu ver claro. Com uma capacidade de despersonalização incrível e inigualável, as suas obras são de um esplendor máximo, intitulando-se ele mesmo o "super Camões";
  • 2º lugar - Albert Einstein - 11 votos - 18% da votação - Aqui encontra-se outro génio, desta vez da ciência. O termo "génio" ficou mesmo sinónimo de Einstein. Aqui ficam algumas curiosidades que eu sei acerca deste senhor já que o admiro mais que tudo: Einstein tinha más notas na escola porque por um lado não compreendia a matéria ensinada já que não fazia sentido (daí ele ter proposto uma nova teoria) e, por outro, porque nunca teve facilidade em línguas e letras e etc; Para além de um génio como já se tem conhecimento era um homem extremamente bondoso; Quando descobriu a fórmula que permitiu a construção da bomba atómica (E=mc^2) excomungou-se porque se sentiu culpado por todas as catástrofes que adviriam da sua descoberta (...);
  • 3º lugar - Kurt Cobain - 10 votos - 17% da votação - O grande vocalista dos Nirvana é uma inspiração para muitos jovens (e não jovens!) dada a sua irreverência e dotes musicais. Outra personalidade que não escapou à saga dos 27...;
  • 3º lugar - Marilyn Monroe - 10 votos - 17% da votação - A nossa querida diva do cinema, ícone de beleza e sensualidade que causa inveja a todas as mulheres do planeta. Não sei se todos sabem, mas esta mulher teve diversos problemas na infância/adolescência, vivendo em orfanatos e etc. Teve um enorme sucesso no século XX sendo uma das impulsionadoras para a emancipação da mulher!;
  • 5º lugar - Beyoncé - 6 votos - 10% da votação - Uma estrela pop que está na berra que encanta as mulheres (e os homens, claro!) do mundo actual. Tem, como se costuma dizer, um vozeirão, impressionando não só por isso como também pelo seu corpo escultural, as suas feições belíssimas e claro, o seu gosto soberbo para a moda!;
  • 6º lugar - Bob Marley - 4 votos - 6% da votação - Surpreendeu-me este senhor ter tão poucos votos, já que é tão apreciado e as suas frases são quase lendárias. Rei do Reggae, as suas músicas são, ainda hoje, um hino aos valores éticos e morais. Um senhor imortal cuja vida é muitas vezes retratada através de 1945 - 
E que tal, surpreendidos com os resultados? Continuem a votar, adoro aferir estes gostos pessoais! ahah Beijinhos *

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Cala-te Joana Filipa

Hoje escrevi um texto grande, bonito, sentido, de coração. Mas escrevi-o no meu diário. Porque se o escrevesse aqui... Ui! Nem quero imaginar certas reacções.

Dia dos Namorados

Uma data especial para os casais, frustrante para os não correspondidos, indiferente para os solteiros e talvez só mais um dia para a maioria das pessoas. Tal como no Natal se celebra o nascimento de Cristo, na Páscoa a sua ressurreição, no Dia da Mãe a nossa querida mãe, no dia do Pai o nosso querido pai (and so on...), interpreto este dia mais como uma chamada de atenção do que outra coisa! É, talvez, um pretexto para o "amo-te" ser exagerado, o mais-que-tudo mimado e bajulado, haver uma surpresa, uma carta de amor, uma rosa vermelha e tantas outras coisas que ficam ao critério dos mais criativos! Sou uma romântica incurável *cof cof* e, como tal, acho este dia super fofinho, que merece ser apreciado do início ao fim! Digam o que não dizem nos outros dias. Cometam loucuras. Façam a pessoa que mais amam a mais feliz do mundo. Afinal de contas, só vivemos uma vez e que o máximo de coisas não fique por dizer. Feliz dia dos Namorados para os apaixonados, para os que amam e sabem o que é amar, até para aqueles que vivem de memórias e de amores passados. Eu vou só ali abrir a minha caixinha das cartas antigas e já venho...

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Belezas em filmes de terror!

Meu deus, estas maquilhagens e efeitos especiais são simply awesome! Fiquem com algumas imagens de raparigas bem giras que ficaram praticamente irreconhecíveis:















Retirado daqui