quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Pessoas e pessoas

Estou naqueles momentos em que nem penso: escrevo. Escrevo porque só assim me consigo exprimir. Ou então grito, mas por pena dos meus vizinhos vou limitar-me ao silêncio das palavras. Nem sei bem por onde começar, nem mesmo o que quero dizer. Talvez queira apenas reflectir sobre as pessoas que passam pela nossa vida. Faz-me confusão como é que uma pessoa pode significar tanto, pode significar tudo e, de um dia para o outro, passa a ser rigorosamente nada... Como a distância pode cortar laços que foram outrora tão fortes, como pode ela apartar dois corações aos quais se prometeu o amor eterno. Não me faz muito sentido, confesso. Mas há  uma coisa que me faz ainda menos: pessoas que simplesmente não abandonam o nosso coração. Podem passar semanas, meses, anos... que há sempre uma réstia, uma coisa de nada, uma memória viva que flameja cada vez que vez que há um mínimo contacto, despoletado por mínimas coisas. O que me azucrina é como poderemos ter esta discordância: pessoas que são tanto e se transformam em tão pouco com uma facilidade quase assustadora e outras que são tanto e permanecem intocáveis no nosso coração por muito e muito tempo, mesmo que tenhamos seguido caminhos distintos. Nem sei por que vim para aqui escrever, é mais o desespero de não poder desabafar com ninguém, ninguém que queira ouvir estas pseudo-crises existenciais. Ou pode ser por eu não querer de facto falar com ninguém, querer somente gritar, gritar sem fazer barulho.

Dreams...

Hoje tive um sonho tão bom que quando acordei fiquei super triste por ser mentira. Fogo, odeio estes sonhos. O-d-e-i-o.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Sondagem Nº 28 - Alguma vez erraste gravemente com a pessoa que mais amas/amavas?

Aqui ficam os resultados desta aferição:
1º Lugar - Sim, mas mesmo assim continuámos a namorar - 39% da votação
2º Lugar - Não, nunca errei com quem mais amo/amava - 24% da votação
3º Lugar - Sim, e por isso acabámos o namoro - 18% da votação
3º Lugar - Sim, mas não namorávamos - 18% da votação

Erros pequenos acontecem todos os dias numa relação, mas erros graves estragam, por vezes, algo bonito e que demorou imenso tempo a ser construído. É importante a compreensão de parte a parte, mas há coisas que são difíceis de esquecer, outras mesmo impossíveis. Perdoar é o primeiro passo, porém existem cicatrizes que residem até ao fim dos nossos dias. Na vida o importante é chutar a bola para a frente, levantar a cabeça quando sofremos um golo e trabalhar sempre para aumentar o nosso marcador. O amor é imprescindível para nos sentirmos vivos, so... Let's just love!

O mesmo vício:

Vernizes. Pintei as unhas de verde e estão super queridas. E ontem comprei um rosa lindo... Ai, que vício.

domingo, 25 de dezembro de 2011

Natal 2012

Já passou a noite, só falta o dia. Eu sei que a maioria dos jovens já está todo entusiasmado com a passagem de ano, eu não tanto. Para ser sincera, não ligo muito a isso, claro que gosto de a passar na companhia dos meus amigos, mas o Natal é o que tem mais significado para mim. Este Natal fomos só 6 cá em casa, os meus tios foram passar a noite de Natal com a família da minha tia a Beja. Mas hoje voltamos a ser 10 à mesa com os pais, tios, avós, primos e mano. A nível de prendas, adorei-as a todas. A minha avó deu-me um verniz verde, lindo! E dinheiro. Os tios deram-me dinheiro, os outros tios também me deram dinheiro e os meus pais deram-me um computador lindo, branco, da Vaio (Sony), o modelo que tinha andado a namorar dias antes! Fiquei felicíssima quando vi o embrulho grande a chegar às minhas mãos! Não só recebi um computador, como também precisamente o que eu queria ter. Já o meu irmão recebeu a ps3. Acho que ainda ficou mais maluco do que eu. Ele andava a falar nisso há que tempos! Quando desembrulhou e viu que era a ps3 com o PES 2012 e a bola oficial do jogo deu um pulo de alegria. Só os sorrisos valeram por tudo. Eu ofereci um perfume tanto ao meu pai como à minha mãe, e aos meus avós dei uma moldura com uma fotografia dos três. Eles também gostaram imenso das prendas! Ah, e recebi uma prenda que adorei, o meu namorado deu-me uma sweat linda da adidas, cor de rosa, mesmo como eu gosto. Resumindo e concluindo: foi uma excelente noite de Natal e hoje espera-se um dia ainda melhor. Feliz dia de Natal a todos.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Véspera de Natal

O ano passado o filme escolhido foi um do Seagal. Este ano foi o Harry Potter e o Cálice de Fogo. Ai como eu adoro aquilo...

Feliz Natal

É muito cliché, eu sei, e sei também que vêm os pseudo-revolucionários dizer "ah e tal só no Natal é que se lembram das pessoas, e só nesta quadra é que recebo mensagens de quem já não ouço falar há meses". A minha resposta a isto é simples: o Natal aproxima as pessoas, o Natal tem uma magia intrínseca que talvez ninguém saiba explicar, mas que nos une de uma forma tão veemente que nos esquecemos de todas as desventuras e desamores. Não é por ser Natal que vamos gostar mais uns dos outros, mas é por ser Natal que talvez nos lembremos daqueles que estão perto, daqueles que já estiveram mais perto e até dos que estão bem longe. É no Natal que as pessoas esquecem os ódios de estimação e as angústias quotidianas. Queria desejar um Feliz Natal a todos os que estão a ler esta mensagem, quer sejam meus amigos íntimos, quer sejam meros desconhecidos. Muita paz, saúde e amor para ti e para os teus, desde os que mais amas até àqueles que te são completamente indiferentes. Feliz Natal.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Christmas

É uma época que adoro. Toda a magia que envolve o Natal toca-me de uma forma inexplicável. A consoada com a família mais chegada, o típico bacalhau cozido e o perú assado, os jogos de cartas e de tabuleiro, os doces de Natal, os presentes, tudo. Sempre vibrei muito com o Natal, em miúda então, era o delírio. Até aos 5/6 anos acreditei piamente no Pai Natal. Os meus pais e avós fizeram tudo de uma forma tão bem feita que eu não desconfiei nem por um momento que ele não existia: jantávamos na cozinha, a minha avó lavava o chão, e eu colocava o meu sapatinho debaixo da chaminé que a casa da minha avó tinha. Fechávamos a porta e íamos todos para a sala de jantar jogar Monopólio, cartas, Trivial e etc. Depois, enquanto estava entretida, os meus pais carregavam as prendas todas para a cozinha pela porta detrás que vinha da varanda. Perto da meia noite ouvia-se um barulho (que alguém da família certamente fazia) e voila, a cozinha estava repleta de prendas desde o fogão até quase à entrada. Era tudo tão mágico que quando soube o o Pai Natal era apenas uma invenção, chorei que me fartei e não queria por nada acreditar. Hoje o significado do Natal é um pouco diferente - hoje o Natal é família, é harmonia, é amor, é carinho, é união, é sorrisos e beijinhos e abraços calorosos. Não é melhor, nem pior, mas dou por mim a desejar, nestes dias, voltar aos meus cinco anos e esperar ansiosamente por ouvir o barulho das prendas do Pai Natal a cair pela chaminé...

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

New Year's Eve


Fui vê-lo na terça-feira e gostei imenso. As histórias, ao início, parecem perfeitamente distintas, mas no fim interligam-se todas de uma forma única. Os actores estão todos fantásticos, aliás, foi o elenco que me motivou a ver este filme. E o Bon Jovi, oh meu Deus, o Bon Jovi...! Tudo acaba em bem, como não poderia deixar de ser, mas as peripécias são mais que muitas e se umas são divertidas, outras tocam-nos o coração. Uma noite mágica para ser vivida com as pessoas que tornam o nosso mundo... Mágico!

Boas e más notícias

Boas: Já li 62 páginas do Memorial do Convento.
Más: Ainda me faltam 431 páginas.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

É por estas e por outras que não gosto da Kristen Stewart!

Hate n' love


Se há coisas que odeio é acordar cedo. Se há coisas que odeio ainda mais é acordar cedo nas férias. Mas se há coisas que adoro é acordar com a tua voz, mesmo que seja às 8:30h da manhã...!

domingo, 18 de dezembro de 2011

Só assim algumas verdades universais










10 razões para fazer sexo frequentemente [ahahah]

Ora fui aqui e achei muito interessantes as 10 razões apresentadas. Ora vejam:

  • Fazer sexo frequentemente é praticar exercício físico - fazer amor 3 vezes por semana queima cerca de 7500 calorias por ano, o que é equivalente a correr 120 km/h;
  • Respirar profundamente - a respiração profunda aumenta os níveis de oxigénio nas células, o que ajuda os órgãos vitais a funcionar plenamente;
  • Sexo mantém ossos e músculos fortes - provoca o aumento dos níveis de testosterona. O aumento da hormona sexual masculina ajuda a manter os ossos e músculos fortes;
  • Sexo frequente baixa os seus níveis de colesterol;
  • A dor pode ser aliviada com sexo frequente - Fazer amor ajuda a aliviar a dor, diz a Dr.ª Bervely Whipple, presidente eleita da American Association of Sex Educators, Counsellors and Therapists, aliviando assim as dores de cabeça e as dores causadas pela artrite. Isto deve-se às hormonas libertadas durante a excitação sexual e o orgasmo;
  • DHEA – sem suplementos - esta hormona dá-nos conforto e bem-estar, actuando de forma benéfica na nossa disposição;
  •  Sexo frequente protege a próstata -  a ejaculação regular ajuda a levar o fluido acumulado na glândula;
  • Alivia o stress;
  • O amor mantém-nos juntos - Relações sexuais regulares são o elemento principal de um relacionamento porque o toque e o carinho fazem aumentar os níveis de oxitocina, a “hormona de ligação” entre os parceiros, que fortalece o desejo de fazer amor frequentemente.;
  • Hormonas - naturalmente - Fazer amor aumenta os níveis de estrogénio, a hormona feminina, que protege o coração e ajuda a manter o vigor do seu parceiro.

Aniversário das celebridades #19


Brad Pitt, tens quase a idade do meu pai, mas eu acho-te irresistivelmente perfeito, mesmo com 48 anos.

A minha vida anda a 200 km/h

Se há alturas em que isto anda uma pasmaceira, uma monotonia quase desesperante em que nada acontece, há outras em que não páro quieta. Estes últimos dias têm sido de loucos, sempre com coisas para fazer, sítios onde ir, tudo. Ontem levantei-me às 7 e pouco da manhã para ir ao circo, em Lisboa. Foi muito giro, números fantásticos e os palhaços super divertidos, até porque o meu pai, e outros dois amigos nossos, subiram ao palco e fizeram figurinhas giras. Depois fomos buscar o bolo de anos do meu príncipe João para a festa dele. A seguir almoçámos, despachamo-nos, arranjámos os sacos e lá fomos nós para o Indoor Fun, para umas partidinhas de futebol. Para o meu irmão foi a festa perfeita - Playstation 3, insufláveis e campo de futebol alugado. Eu também joguei, e o bf deu-me uma canelada que ainda tenho a perna negra (é bom que leias e que fiques com remorsos!), mas pronto, foi uma boa partida, até porque não lhe consegui tirar uma única vez a bola, o que me deixou extremamente frustrada, mas ele corre mais que sei lá eu o quê. De resto, tudo dentro do normal. Jogámos o tempo que alugámos o campo e ainda mais, o meu pai parecia um maluco com a bola e não a largava por nada! Tive de faltar ao jantar de anos da minha Nonô, a quem peço publicamente desculpa, porque eram 20:30h ainda estava eu em Corroios, com os putos todos à minha volta! Hoje os tios e os avós vêm cá a casa almoçar, mas espera-se um dia mais calmo. I need to slow down!

P.S. O meu João fez os 9 aninhos no dia 14 de Dezembro, parabéns meu puto.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

O muro das lamentações

Venho a aperceber-me de que o meu doce e estimado blog é o meu muro das lamentações. Quando estou mais em baixo, corro para aqui e falo, falo, falo. Escrevo imensas coisas que talvez façam sentido somente para mim, mas pronto, escrevo. Quando estou feliz e radiante mal passo por aqui. É lapso meu, eu sei. E peço desculpa aos meus seguidores e leitores. Mas prometo que agora com as férias estarei mais atenta ao meu cantinho. Até porque agora tenho andado mais nos jogos - Sims e Tycoon. Ando sempre com aquilo ligado e, por conseguinte, não venho ao blog. O blog é mais quando estou pelo facebook, coisa que agora também deixei de ligar tanto. Ando mais preocupada em acabar trabalhos, entregá-los e etc. Amanhã é o último dia de aulas do 1º Período. Isto passou mesmo rápido, mas mesmo mesmo rápido. Ainda "ontem" estava eu com um bronze invejável, quando agora estou pálida e sem cor. Enfim, é o mal do Inverno. As notas vão ser boas, pelo menos é isso que espero! Para o próximo período tenho de estudar mais, pelo menos Matemática A, porque já vi que estas exponenciais e estes logaritmos me vão dar muitas dores de cabeça. A próxima matéria de Biologia também é mais lógica, é a hereditariedade, mas não é a de Mendel, é a de Morgan (bem, quem não é de ciências não deve estar a perceber nada do que estou a dizer, portanto vou calar-me em relação a matérias escolares). De resto a vida corre bem, está boa e recomenda-se. Agora falta começar a pensar seriamente nos presentes de Natal...!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Visita de estudo à Central do Pego











Duas horas de viagem para lá e para cá, mas valeu a pena.
12ºA

domingo, 11 de dezembro de 2011

Só assim muito rápido

Não tenho parado em casa, e o tempo que aqui estou, é a correr. Desculpem não ter dado notícias, mas ontem o meu dia foi uma correria, depois de estar 3 horas, sim acreditem, 3 horas num torneio de futebol com o meu irmão, o tempo que sobrou para me despachar não foi muito. A Caths fez-me uma maquilhagem muito gira que levei para o RS para o jantar da Ritinha (parabéns mais uma vez, by the way). A noite foi muito gira, na melhor companhia do bf, e das grandes amigas I. e D. Resumindo: deitei-me por volta das 4 da manhã e hoje tive de acordar cedo para me começar a despachar para a festa da Vodafone. A minha excelentíssima mãe está a dar-me pressa que me tenho de ir vestir. E por acaso tenho mesmo. De resto não há grandes novidades, tudo na mesma. Estou ansiosamente à espera das férias. Já sinto o cheiro a Natal por todo o lado. Tão bom...

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Digam lá se esta criatura não é a coisa mais fofinha de sempre ahah


O meu irmão adora a minha cama, diz que é super quentinha (e é, com aqueles lençóis polares, ui), então todos os fins de semana de manhã costumo ter companhia!!

Sweet holiday

Ontem não vos escrevi, peço desculpa, mas fui à santa terrinha porque o meu avô fez aninhos. Aqui deixo algumas fotos, não muitas, mas as que conseguimos tirar.






quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Obrigada, Medicina


A minha tendência é agradecer a Deus. Sou crente e convicta de que ele existe e de que está lá para nós quando mais precisamos. Não pode remediar o irremediável, mas dá-nos sempre a mão quando estamos prestes a cair num precipício. Não o descoro, nunca, mas hoje senti necessidade de agradecer a algo mais palpável - à Medicina. Eu que sou amante de letras, não consegui deixar de ir para Ciências porque as ciências são, de facto, algo que me fascina. Queria agradecer à Medicina pelo que tem feito, não tanto por mim, mas pelos meus. Até agora tem salvo duas das pessoas mais importantes na minha vida. Já salvou um cancro, está a salvar outro, já salvou uma coluna e muitos problemas de estômago. Peço-te agora, querida Medicina, que salves mais uma vez o que quer que seja que haja para salvar. É com as lágrimas nos olhos que te suplico que, se puderes fazer alguma coisa, que faças. Eu não gosto de mostrar as fragilidades, tenho sempre aquele ar sorridente, e parece que os problemas me passam ao lado. Não passam, tanto que não passam que eu sofro. E parece que é quando surge um problema que vem logo outro a ajudar. Eu não sou estúpida e já tenho Biologia há uns aninhos, sei perfeitamente ler análises e saber o que elas significam. Mas sei que a tua teimosia é maior que tudo. E aí entra Deus. E peço a Deus que te convença a recorreres à Medicina. E peço à Medicina que te ajude, porque apesar de estar confiante, não sei o que o futuro te reserva. Depois de todas as coisas pelas quais já passaste, vem mais esta. Estou mais para lá do que para cá. Estou com medo. E ultimamente, eu que penso tanto na morte, nem tenho pensado nela. E agora penso.
Medicina, eu sei que alguma coisa poderás fazer, como sempre fizeste. Sei que vais conseguir fazê-la sorrir mais uns largos e longos anos. Até porque ela já me disse que quer ir ao meu casamento. Por isso, Medicina, mais uma vez te peço encarecidamente para os ajudares, agora a ela, noutro dia a ele. Mas ajuda-os porque eu nada posso fazer.

Too late

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Há tanto tempo que não tinha e agora voltou...

Uma afta. Urrrrr, lá se vão os meus chocolates!

A psicologia tanto ensina muita coisa como vê-se mesmo que não percebe nada do assunto

Stor: Nós somos todos diferentes, mas o que é facto é que nos percebemos todos uns aos outros.
Eu e a Cláudia: Percebemos?!?!?!?!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Aqueles pensamentos que às vezes me passam pela cabeça

Sometimes we've nothing to talk to a person, we just know that we would like to talk to her...

domingo, 4 de dezembro de 2011

Eu sou mesmo assim

Às vezes paro. Penso. Reflicto. Volto a parar, a pensar e a reflectir. Minto. Eu nunca paro, nem penso, nem reflicto. Sou impulsiva, tenho o coração ao pé da boca e a alma a brotar pelos poros. Não sou calculista, nem racionalista. Não espero, nem sou paciente. Sou rápida, implacável, precipitada, impetuosa e irritadiça. Sou mesmo assim. Digo o que quero, o que penso que quero e o que não quero. Não penso nas consequências. Quando dou por mim já vou onde não queria ir. E sou orgulhosa. O que não me deixa voltar atrás nas minhas decisões, sejam elas certas ou erradas. Incorrectas ou acertadas. Não dou o braço a torcer. Sou teimosa, sou mesmo muito teimosa. Estou sempre lá para quem mais gosto. Resmungo, protesto, guerreio e amuo quando me fazem o que não gosto, mas continuo lá. Até um dia. E quando esse dia chega, quando atinjo o meu ponto de ebulição, quando esgoto toda a minha paciência, quando o choro se torna uma constante do quotidiano, eu paro. Deixo de suster tudo aquilo que me atormenta, e rebento. E digo tudo, tudo, tudo. Digo e não me calo. Falo até não poder mais. E depois sigo. Mais vazia, é certo. Sigo sem um pedaço de mim, sem uma parte de coração, mas sigo. Gostava de ser diferente, evitaria muitas chatices, muitas lágrimas, muito desespero, muitos calafrios, muitas lamentações. Evitaria muita coisa. Mas eu sou mesmo assim. A pain in the ass.

Everyone wants to...

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Como eu sou segundo o meu irmão


João: Oh mana, tu não pareces ter 17 anos. Tu és bué brincalhona comigo, e depois fazes figuras bué engraçadas e eu fico a rir-me bué, mas as miúdas de 17 anos já não têm idade para fazer essas maluquices. Quando te pões a imitar um bebé ficas mesmo fofinha e metes bué piada, mas pronto mana, já tens 17 anos...
Joana: Então pronto, vou deixar de fazer parvoíces.
João: Não mana, eu gosto que tu pareças não ter 17 anos.

[ahahah]

Aniversário das celebridades #18


Woody Allen, um dos maiores cineastas de sempre, faz hoje 76 anos. Que continues por cá e faças mais filmezinhos que a malta agradece. Assim um como o Vicky Cristina Barcelona está bom!

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

A conversa entre o pé e o pénis

Vi isto num facebook e achei simplesmente hilariante!

Pé: Tu é que tens sorte, estás aí dentro das calças todo o dia. Eu não, eu ando sempre no chão, dentro de sapatos apertados. Às vezes fico cheio de feridas, bolhas e calos. Na rua ainda corro o risco de pisar porcaria de cão e depois sou esfregado violentamente na relva.
Pénis: Olha que às vezes a minha vida é complicada: estou eu muito bem descansado quando começo a ouvir barulho lá fora, então dou uma espreitadela e o meu dono tira-me do quentinho e mete-me num buraco escuro, mas ele é tão indeciso que me põe e tira, e põe e tira e assim sucessivamente. Eu fico tão mal disposto que, na maioria das vezes, vomito e depois desmaio.

O que eu me ri quando li isto pela primeira vez!!!

Feriado, meu amigo

Calhas tão bem. É do melhor não ter uma aula à quinta feira, não só pelas disciplinas que tenho, como também pelo interregno que se faz na semana, que sabe mesmo bem. Para o ano não teremos o prazer de desfrutar deste prazer (que fixe). E como a minha mãe diz "quando nos tiram direitos é complicado voltar a adquiri-los". O que é uma pena. Por isso acho que devíamos fazer uma revolução, mas esperemos por Janeiro porque não há muitos feriados nesse mês. Janeiro parece-me um bom mês, lá para o meio, dia 15 ou coisa parecida. Assim ficávamos não só com o 25 de Abril como com o 15 de Janeiro. Já que nos tiram o que já tínhamos "ganho", então que criemos novos feriados!
Agora só tenho teste dia 9, de Psicologia, até lá é só trabalhos, que como gosto de os fazer, não me dão trabalho nenhum.
Ricos feriados, e que para a semana venha o 8 de Dezembro que a malta agradece.

Poemas das horas vagas

Quando ambos sorrimos
Gera-se imediatamente uma magia
E eu sei que ambos sentimos
Que haverá entre nós sempre uma empatia.

Pergunto-me incansavelmente
O porquê desta situação
Porque sei inequivocamente
Que nunca abandonarás o meu coração.

Todavia, limito-me a esperar
talvez por algo que nunca virá.
Contudo eu não sei não te amar
e o que sinto por ti aqui ficará.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

A maioria das vezes...

Recordações&Saudades


Às vezes tenho saudades, muitas saudades. Saudades cortantes e gritantes. Saudades que até me cortam a respiração. Nesses momentos relembro o que de melhor aconteceu. Relembro os gestos, as palavras trocadas, os conselhos dados, as conversas, a partilha. Relembro o que me dizias, o que eu te dizia. Relembro as mãos enlaçadas, os sorrisos, as despedidas, os cumprimentos. Relembro tudo o que houve de bom. E sinto-me tão preenchida e completa que penso não precisar de mais nada. Depois recordo o mau. Recordo as farpas no peito, as lágrimas pelo rosto, os olhos vermelhos, as discussões. Recordo os amuos, o desprezo, os erros e o desespero. Recordo tudo aquilo que jamais em tempo algum desejaria recordar. Mas recordo porque algo tem de quebrar o sonho fracassado. Algo tem de ser suficientemente forte e imbatível para eu deixar de sentir saudades, para deixar de sentir o desejo abrupto de gostar mais de ti do que de mim. E eu apago todas as coisas que melhor me fizeram com uma única, uma única e singela má recordação. Há coisas que são assim porque têm de ser. Não há explicação, não há causas, não há nada que as possa justificar, até porque qualquer justificação pareceria insuficiente. Há coisas do destino, por ele traçadas e por ele mantidas. E nós não podemos mudar. Nós temos de aceitar. Por muito que custe, que doa, que fira, que mate. Eu lembro e relembro e torno a lembrar, não para sentir que aqui estás, porque isso não é verdade, mas para sentir que um dia estiveste. Que foi verdade, que alguma coisa teria de ser verdade. Mas digo, repito e reitero, se recordar é viver, então eu vivo intensamente, cada segundo.

O que as pessoas querem realmente dizer quando descrevem uma pessoa [está brutal ahah]

Estás solteira e queres namorado. Uma amiga tua descreve-te um homem aparentemente perfeito. Mas será que as palavras que ela usa para o descrever são realmente verdadeiras? Vê o que cada coisa realmente significa!

BSH- Bom sentido de humor. Contudo, um bom sentido de humor pode também significar uma tendência para dizer piadas inconvenientes em público.
Financeiramente responsável- Um teso
Atraente- Vaidoso
Descontraído- Com mau aspecto
Fofo- Gordo
Arrojado- Viciado no jogo
Sociável- Bêbado
Que procura relação casual- Que dorme com outras mulheres
Aprecia fins de semana no campo- Não quer apresentar-te à família e amigos.
Trabalha até tarde- Não se pode comprometer em relação às horas normais dos encontros ou a mulher dele pode descobrir.
Liberal- Quer experimentar sexo anal, sexo a três e sadomasoquismo.
Entusiasta- Virgem
Criativo- Desempregado
Romântico- Já foi casado quatro vezes.
Toca piano- Toca mal

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

I really love...

Coisas mesmo sem interesse nenhum #2

Estava eu e a M. a estudar para o teste de Matemática A que já se realizou faz amanhã uma semana, quando as conversas de fundo são do maior interesse da comunidade escolar. Uma contínua dizia para a outra "acho que o meu marido me anda a trair" ao que a outra responde "eu também já achei isso, mas coitado, só chegava tarde a casa porque ficava a fazer horas extraordinárias para me comprar um carro!" e vira-se a outra "pois, mas eu ando desconfiada" e a outra "tem calma, mulher, às vezes estas coisas são significam nada. Eu não tinha motivos nenhuns para duvidar do meu homem".
E pronto, é isto que se faz no horário de expediente, é isto que se faz todos os dias, a cada dia. É para isto que são pagos ordenados.
Como a M. dizia "Joana, se eu algum dia ficar assim, certifica-te de que acabam comigo".

domingo, 27 de novembro de 2011

O silêncio do amor


O silêncio é das falas mais fortes que existem. Uma forma de expressão tão intensa que nos vai destruindo, a pouco e pouco, tão subtilmente que chega a ser quase imperceptível aos olhos, mas inequívoca ao coração. Diz-nos mais do que não diz, diz-nos simplesmente, que caso falasse, seria ainda pior. Mas nós preferíamos o pior. Preferíamos a mágoa das palavras ao desespero do silêncio. Ao menos sabíamos com o que podíamos contar, não é? Sabíamos que estávamos mal, pessimamente mal, irreparavelmente mal. Com o silêncio, não. Com o silêncio fica a dúvida, ténue e transparante, de como seria se soltássemos uma palavra. Uma mera palavra. Não temos nada a dizer, contudo fica sempre tanta coisa por partilhar. Mas o silêncio fala mais alto, e toma uma proporção tão elevada no nosso quotidiano que já nem sabemos bem se falamos ou não falamos, ou se falamos e não sabemos que falamos, porque assim que se cruza um olhar, um único olhar, mesmo que de soslaio, são tantas as coisas ditas, verbalizadas, gritadas e exacerbadas, que nos deixam meios adormecidos no meio de tanta falta de comunicação. Não é o silêncio que faz esquecer, ele apenas não deixa doer. Pelo menos não tanto. Afasta do pensamento aquilo que menos desejamos lembrar, não obstante de trazer, em certas horas e momentos inoportunos, com ainda mais veemência todos os desamores e desventuras. Com o passar do tempo vamos aprendendo a viver com a ausência, com a falta e a carência, e é com a inocência de crianças desprotegidas que continuamos a caminhar. Passos pequenos e fracos, passos que praticamente não deixam marca continuam a ser dados, continuam a suceder-se, mas ao acaso. Passos escondidos por entre sombras de melancolia, passos que ansiamos apagar, passos que nos permitem entreter a vida, e não vivê-la. Ao fim do dia, deitados sobre as memórias e recordações, o silêncio adensa-se. O silêncio começa a matar-nos e a ferir-nos, o silêncio de quem mais amamos parece ter uma força tão austera que nos faz chorar. E choramos. E limpamos as lágrimas. E recompomo-nos, com a certeza de que, um dia, o nosso amor vai gritar, gritar tão alto que nenhum silêncio o poderá calar.

Beauty&love

E o fim-de-semana já foi

Depois de estudar tanta Biologia sinto-me uma perfeita doutora. Aquilo tem tanta coisa que é preciso saber que me sinto uma enciclopédia, pronto. E depois vem a hereditariedade que é giríssimo (e fácil) porque só temos de perceber, decorar não é mesmo quase nada. O que é deveras perfeito. Pelo menos para mim, que odeio empinar sobre o que quer que seja. Menos história, vá. Eu adorava aquilo, mas desde o 9º ano que não tenho. Que pena...
Hoje de manhã comprei umas calças e uma camisola na H&M. É uma loja à qual não costumo ir, porque nunca veja nada do meu agrado, contudo hoje entrei, experimentei, gostei e comprei. As calças são de ganga escura e a camisola é creme de lã.
Agora parei para vir ver as coscuvilhices do momento e para desanuviar a cabeça. Com tanta genética ainda rebento.
Hoje dá o American Horror Story. Gostava de ver. E não gostava de ver. Gostava e não gostava, percebem? Logo às 23:30h logo me decido. Enfim, vou estudar.

sábado, 26 de novembro de 2011

Lá está...

Sweet Saturday

Bom fim-de-semana, amigos. Hoje acordei mais tarde, pelas 10 e pouco. Soube bem dormir até mais tarde. Depois de uma longa conversa, acordei exactamente no momento em que os lábios dele e os meus se tocaram. Deu para perceber que tinha lábios macios, mas nada mais. Odeio quando isto acontece, odeio quando acordo na parte melhor! Mas como sabia que estava a sonhar (sei quase sempre), não me importei, visto que de uma forma ou de outra não ia ser realidade... Comi um rissol de camarão, eu adoro rissóis de camarão. E agora aqui me sentei, para ver as novidades do Facebook e do Blog. Nada demais, que vida monótona. Daqui a nada vou dar um jeito a este quarto que já não me entendo com tanta roupa espalhada e com tantos livros pela secretária. Mais logo há derby. Ai meu deus, há mesmo derby. Se vibro com os jogos do Benfica, com este então... Se nós perdermos vou ficar muito chateada, por isso, caros jogadores benfiquistas, por amor às pessoas que têm de socializar comigo, marquem golos suficientes para ganharmos! O resto do fim-de-semana será a estudar Biologia... Que seca, que treta, que tudo. É a disciplina que menos gosto este ano. Dá para acreditar? E era das minhas preferidas! Este ano a que mais gosto é Matemática (lets laugh?!) Matemática! E garanto-vos que algo que nunca combinou foi Joana&Matemática, mas pronto, adiante. Hoje o que tenho de fazer é estudar como resolveria os vários problemas da infertilidade. Lá terá de ser, não é? De resto... Só espero ver o meu Diogo que está cada vez maior e mais bonito!
Já falta pouco para as férias, yes yes yes.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Olha a Joana lamechas - As melhores



C.J.M., True love

Sondagem Nº 27 - Alguma vez traíste o/a teu/tua companheiro/a?

Primeiro as boas notícias: a maior parte dos votantes nunca traiu ninguém. Agora as más: dos traídos, a maioria não sabe que o foi! Aqui ficam os resultados da votação:
1º Lugar - Nunca traí ninguém - 76% da votação - 52 votos;
2º Lugar - Sim, mas ele/a não descobriu - 13% da votação - 9 votos;
3º Lugar - Sim, e ele/a perdoou-me - 8% da votação - 6 votos;
4º Lugar - Sim, e ele/a não me perdoou - 1% da votação - 1 voto.

Penso que já manifestei a minha opinião em relação à traição aqui no blog, ou não? Sem mais demoras, eu tenho quase a certeza que não perdoava. Contudo sou apologista do "nunca digas nunca" portanto não digo que desta água não beberei. Todavia, estou convicta de que seria dificílimo perdoar tal coisa, até porque já me aconteceram determinadas coisas, não traições, mas sim traição da minha confiança, mesmo em termos de amizade e que não consegui superar nenhuma das vezes. Portanto, amigos, não traiam... Se querem estar com outra pessoa sejam sinceros, somente isso. Mais vale do que fingir que está tudo perfeito e depois andarem a dar "facadinhas" nas costas. Obrigada por todos os votos e pela sinceridade (espero). Votem na próxima que vou, de seguida, colocar*

What a girl deserves

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Escolhas

É o que mais fazemos. Todo o dia. A toda a hora. Escolhemos tudo, desde o que comemos ao pequeno almoço como que profissão queremos seguir. Escolhemos o que está ao nosso alcance, somo donos das nossas decisões e cativos dos nossos ideais. O pior é que há coisas que não podem ser escolhidas. Há coisas que nos são impostas, coisas que não podemos negar, coisas que temos simplesmente de aceitar. Coisas que não está ao nossos alcance decidir. Coisas que para nós jamais serão meras "coisas". As nossas acções conduzem a repercussões, mas e quando não agimos e temos essas mesmas repercussões? E quando estamos totalmente alheios à realidade que nos rodeia e, mesmo assim, levamos com um balde de água fria pela cabeça abaixo, por algo que não fizemos, que não escolhemos? Enfim, habituamo-nos. Porque não há nada mais que possamos fazer. Há realidades que chegam a nós sem que as tenhamos pedido. Vêm como uma oferenda amaldiçoada, uma imposição indesejada, um calafrio que percorre a espinha e nos deixa com o estômago às voltas. E perguntamos nós, ingénuos, inseguros, perdidos e revoltados "mas que fiz eu? Terei mesmo escolhido isto para mim?". Não. Não escolhemos, ninguém escolheu. São coisas da vida, são coisas que acontecem por acaso, ou com um intuito que desconhecemos. Nem tudo está nas nossas mãos, por vezes a nossa vida é guiada por mistérios do destino, outras tantas é guiada por terceiros. Andamos ao sabor dos ventos e das marés. Nem sempre conseguimos que o barco siga a rota que queremos, contudo, mais cedo ou mais tarde, ele há-de endireitar-se e seguir o caminho pré-destinado.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

True love cannot die

Assim um texto de quem não tem nada para fazer (mas tem!)

Acabaram-se os testes de Matemática por este período. Que descanso, que alívio, que tudo! Poderá, eventualmente, haver um quarto teste, sim q-u-a-r-t-o, porque as notas do primeiro teste não foram muito famosas, contudo como eu não me posso queixar da minha não sei se o farei. Se o fizer é mesmo para tentar ter 18 este período. Agora falta a segunda rodada dos outros todos. O primeiro deles é Biologia, no qual vem basicamente a mesma matéria que saiu no anterior, com a junção da hereditariedade de Mendel que é, por sinal, o tipo de hereditariedade mais simples. Vou começar o estudo para o teste e fazer mais exercícios e novos resumos e essas coisas chatas que faço sempre antes dos testes (nem que seja por descargo de consciência).
Falando de coisas mais interessantes, ando a ver uma série que adoro! The Walking Dead. Penso que ainda não a mencionei no blog, mas estou completamente viciada naquela porcaria. E a forma como acabam sempre os episódios só me faz querer ver o próximo, e visto que só dá uma vez por semana (às terças às 21.30h na Fox) ando uma semana inteirinha a pensar "mas quando é que é terça-feira?!?!". Está por aí a começar a minha Anatomia de Grey (yes, yes, yes). Começa dia 8 de Dezembro na Fox Life. Mal posso esperar! Ahh e o Spartacus recomeça em Janeiro, já com um novo actor, infelizmente... Aconselho vivamente qualquer uma destas séries, são espectaculares, cada uma de sua forma, pois são totalmente diferentes umas das outras.
Hoje não tive aula de Português, ao que parece a stora teve uma enxaqueca enorme e não pode dar a aula.
Mas o melhor de tudo é que... Amanhã vou ver o Amanhecer!! Estou completamente desejosa. Não quero ir ver este filme com ele para me poder babar com o Jacob, ver com um rapaz não tem piadola nenhuma, certo? Por isso vou com as minhas meninas para me poder babar à vontade por aqueles abdominais, aqueles bíceps, aqueles tríceps e etc etc. Com ele gostava de ver o "Sem Tempo", que dizem ser muito giro. Isto se entre os treinos de atletismo (sim, ele vai bater o record nacional), o facto de ter de ir montar (sim, tem um cavalo branco, lindo chamado Óscar), e ter cambridge não o impedirem de dispender de uma tarde (ai de ti que não vás, ouviste?!).
Bem, vou voltar aos livrinhos. Porque a vida não é só blog&Facebook!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Aniversário das celebridades #17


A Scarlettzinha (Scarlett Johansson) faz hoje 27 anos. Não és das minhas atrizes favoritas (aliás, até embirro um pouco contigo), mas pronto. Parabéns na mesma.

1 ANO

É verdade amigos e amigas. Hoje o meu blog faz um aninho! Passou a correr este tempo, nem dei por ela. A partir de hoje vou poder reler as coisinhas que já postei e pensar "há um ano atrás estava assim". A partir de hoje vão repetir-se os Invernos, Primaveras, Verões e Outonos. Vão viver-se novas experiências, novas emoções, vou partilhar novos sentimentos. Escrever no blog é não só um interesse, como também um vício. Mesmo que ninguém lesse estas coisas, mesmo que não tivesse nem uma visita por dia, este seria sempre o meu cantinho, onde poderia partilhar o que vai dentro de mim. Obrigada a todos aqueles que me incentivaram a fazer algo assim. Obrigada àqueles que seguem o dia-a-dia da minha vida. Obrigada aos desconhecidos que me vêm dizer que gostam de ler o meu blog. Obrigada aos meus amigos que gostam de ler os meus devaneios. E um obrigada muito especial aos meus seguidores que vêem o meu blog e, como a palavra indica, o seguem. Espero não parar de escrever aqui, de continuar a contar-vos os "sons que preenchem a minha vida". Que este seja o primeiro ano de muitos! Obrigada, de coração.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Aprendam, homens!

Vê lá se percebes que esta é para ti

Eu não sou muito lamechas. Tu sabes que não e até me criticas que pareço, muitas das vezes, distante. Desde que criei este blog tive um namorado, mas nunca escrevi nada, porque nunca achei que fosse necessário fazê-lo. Agora não só tenho vontade como também acho que deves saber o que sinto. Posso resumir isto numa frase simples - se não esqueci em 2 anos e meio, o mais provavel é que nunca esqueça. Tu és daquelas pessoas que mesmo estando longe, estás perto. És teimoso, és estúpido, és ciumento, és complicado, és... assim... tal e qual como eu. Sinto que ao pé de ti nada pode correr mal, porque tu és mais que um melhor amigo, tu estás lá sempre que preciso. Agora estás na aula de Matemática A a pensar em mim [não é?] e eu estou a fazer um interregno no meu estudo de Matemática A para te escrever isto. Porque dizes sempre que não percebes para quem são os textos e tal. Este de certo que percebes que é para ti. Há coisas que nunca esquecem, que não morrem, há pessoas, como nós, que deixamos uma marca demasiado forte para ser simplesmente erodida pelo tempo. Acho que não falta saber nada de ti, mas mesmo mesmo nada. De ti e dos que te rodeiam. Acho que podia escrever aqui a tua história de vida e a da tua família. Mas não vou fazê-lo, porque são coisas minhas e tuas, e só nossas. Não vou, como já disse aqui, fazer juras e promessas de amor. Não vou dizer que vamos ficar juntos para sempre. Apesar de estar convicta de que o que eu sinto por você não vai passar. Cause I love you like crazy. Como isto evoluiu de uma brincadeira de putos, mas mesmo mesmo putos, para algo tão bonito. Só quem perde pode dar valor, e eu dou-te tanto, acredita.
Dezembro de 2008. 27 de Março de 2009. O resto das nossas vidas.
SJAP,
a tua BRMFJ

domingo, 20 de novembro de 2011

Isto das hormonas tem muito que se lhe diga...

Ainda não descobri porquê, mas quando ando com muito stress/pressão/discussões/problemas o meu cabelo ficar super oleoso. Mas super! Mas tanto, tanto que hoje não saio à rua com o cabelo neste estado!! É tiro e queda, enervo-me e no outro dia o meu cabelo está num estado lastimável. What a shame.

Vejam o meu príncipe encantado










Amor? Amor é isto.