sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Vida

É fácil dizer que se vive como se não houvesse amanhã, mas na verdade duvido que alguém o faça. Porque é precisamente o "amanhã" que nos impede de fazer certas coisas, que nos trava nas nossas decisões e nos intersecta a espontaneidade e a vontade momentânea. São as consequências dos nossos actos que nos fazem pensar duas vezes se devemos realmente tomar determinada atitude ou decisão. Às vezes penso nestas coisas, assim num tom mais filosófico, e a verdade é que se não houvesse amanhã e este fosse o meu último dia de vida eu não estaria aqui a escrever este texto. Estaria a pôr em prática o que aqui debito. Penso que é esta qualidade efémera e esgotável da vida que a torna tão bela, tão inesperada, tão mágica. Se pensarmos bem acerca do assunto, deixamos muita coisa por fazer por não sabermos o dia em que morremos, e diga-se de passagem que, se o soubéssemos, seria uma perfeita tortura! Às vezes quando estou a iniciar uma discussão com a minha avó penso imensas vezes "ela já tem a idade que tem, vou aborrecer-me com ela por pequenos "nadas" quando um dia deixo de a ter?" e imediatamente ponho a discussão de lado e lhe sorrio como fazia em criança, com aquele sorriso que ela tanto gosta. As discussões, as lágrimas, a tristeza, o choro, a mágoa e a melancolia são sentimentos abomináveis e, certamente, todos nós desejaríamos apagá-los o mais depressa possível quando eles se instalam no nosso coração, no entanto também eles fazem parte da vida, o que é uma parte bastante má da mesma. Tenho pena que desperdicemos tempo com perfeitas porcarias que nada adiantam, mas eu própria também dispenso segundos, minutos, horas, dias e semanas com coisas que não têm razão de ser. Enfim, se eu morresse amanhã, hoje teria muita coisa para fazer...

2 comentários:

Rui disse...

Se não houvesse amanhã seria sem dúvida um desperdício de tempo escrever isto todo ... mas por outro não terias tido o momento de inspiração para escrever este texto tão bonito!! Gostei ;)

Raquel Pereira Painço disse...

Bem verdade :p