quinta-feira, 6 de setembro de 2012

O Diário da Nossa Paixão

Revi, pela enésima vez, este filme ontem à noite. A minha expressão facial a ver este romance oscila entre um sorriso estúpido e comovido e uma lágrima no canto do olho. Para mim, esta é a melhor história de amor de sempre, pelo menos a mais genuína, aquela que em jovens nós acreditamos. O Noah e a Allie fazem um par de sonho, aquela personalidade forte de ambos e o amor que nutrem um pelo outro fazem-nos acreditar que o amor verdadeiro ainda é possível - ainda que estejamos 7 anos separados do nosso mais-que-tudo - porque no fim tudo acabará como deve acabar. É, realmente, uma história que me toca, não só pelo grande e eufórico amor vivido em jovens, como em adultos e, posteriormente, em idosos. Quando acabo de ver o filme só me pergunto "será que eu também vou ter o meu grande amor a ler para mim a nossa história de amor quando tiver Alzheimer e já não me lembrar dele?", porque isso sim, é amor verdadeiro.








4 comentários:

Jorge Viegas disse...

Um dos melhores filmes de sempre, como tu já o vi uma data de vezes, ficamos sempre com aquela duvida se ela se vai lembrar de tudo.

Joana Filipa disse...

É verdade. E o livro é ainda mais fascinante! Adoro esta história, é simplesmente linda...

*C*inderela disse...

Um dos meus filmes/livros preferidos. Foi o nome da nossa mesa de casamento e tinha alguns desses excertos :)

Bjokas

Joana Filipa disse...

Concordo. Esta história de amor é p-e-r-f-e-i-t-a, sem tirar nem pôr! Beijinho