quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Past love

Às vezes é complicado. Corrijo, às vezes é impossível não comparar o presente com o passado, não recordar todas as coisas que preencheram a nossa vida durante tanto tempo. É preciso um nível de abstracção de dimensão muitíssimo elevado para conseguirmos destrinçar completamente o passado do futuro e do presente. Porque, na verdade, estas três entidades influenciam-se e comungam-se mutuamente. Por vezes, dou por mim a recordar momentos que passaram, vivências que tive. Dou por mim a reviver cada palavra, cada gesto, cada imagem que guardo na minha mente. E reconstruo os momentos, outrora perfeitos, que hoje em dia não são nada senão quimeras, sentimentos enjaulados, amores perdidos por circunstâncias da vida... Inconscientemente, vou recordando cada momento, refazendo a história, convertendo o passado numa memória presente, e olho para cada canto e consigo sentir perfeitamente a emoção que senti naquele determinado momento. Às vezes ainda penso que isto é mentira. Que a qualquer momento tudo vai voltar como por magia, e que este presente, que ainda me é alheio, vai deixar de existir. Ainda é estranho, sabes? Ainda é muito estranho. Não consigo simplesmente passar uma borracha em tudo. A intensidade não o permite, nem tão pouco as memórias. Até o vento me traz o que eu quero esquecer. Talvez esteja mesmo destinado assim. Mas a verdade? A verdade é que eu acredito na história do Noah e da Allie. E isso diz tudo.

2 comentários:

Anónimo disse...

it could have been perfect if you hadn't screwed up everything

Joana Filipa disse...

Sometimes we make mistakes. We regret it. We apologize. We promise we won't do it again. But sometimes, it's not enough... Is it?