sábado, 19 de janeiro de 2013

Time goes by

Sabem aquela sensação de estarem onde não pertencem? De fazerem o que não gostam? De viverem o que não querem? O tempo não espera pelas decisões certas nem nos dá momentos extra que nos deixe remediar os nossos erros. Cada segundo mal passado é um segundo perdido. Cada ínfimo pedaço de vida desperdiçado com aquilo que nada nos diz, é tempo naufragado sem retorno. O somatório de todos esses segmentos pode formar uma eternidade. E triste é olhar para trás com uma lágrima no olho e não com um sorriso no rosto, mas a verdade é que desperdiçamos a nossa felicidade com pormenores sem importância e no fim ficamos com o nosso orgulho, a nossa arrogância, a nossa personalidade forte e intransigente, contudo com o coração vazio, apartado de sentimento. Possuímos todos os valores intrínsecos ao nosso "eu", todavia sem aquilo que mais deveria importar - uma vida preenchida. E quando cogito acerca desta temática não consigo evitar sentir um enorme pesar na alma porque, de facto, sei que já perdi muita coisa que não devia ter perdido, umas derivadas de erros fatais, outras simplesmente porque o orgulho foi demasiado grande para ser posto de lado. E esta segunda razão é realmente triste... Os dias passam, a vida escorre numa ampulheta cuja areia um dia irá findar e, muitas vezes, mesmo antes de adormecer, as gotas de sal começam a verter copiosas dos olhos envermelhecidos. A dor emerge e colapsa sôfrega de tanto acorrentada. Mas às vezes é mesmo assim: deparamo-nos com um presente jamais imaginado por não termos coragem de simplesmente ignorar o que deve ser ignorado. Inocente ou não, cresci com aqueles filmes da Disney que enganam as raparigas com o príncipe encantado e a vida perfeita, mas guess what? Eu ainda acredito no "felizes para sempre"

4 comentários:

Rui Costa disse...

é verdade uns a sonhar c\ príncipe encantado outros a sonhar c\ a princesa encantada, mas é assim a vida de crianças ... em adultos a realidade é realmente outra!! Quanto a um "feliz para sempre" cabe a cada um de nós lutar por ele!! Boa sorte e força ;)

Rainha disse...

A vida é como um livro, com vários capítulos. E há que saber retirar uma lição de cada um. A partir daí não se comete os mesmos erros.
Gostei muito do teu texto :)
Beijo

Joana Filipa disse...

É pena que a vida dos adultos seja TÃO diferente da das crianças! Obrigada, beijinho *

Joana Filipa disse...

Sim, errar é importante mesmo por isso! Concordo totalmente.
Beijinho e obrigada :)**