quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Eu não consigo viver sem ti

Este ano de 2013 não começou da melhor maneira e acontecimentos recentes mostram que ele não será nada bom. Mesmo assim há uma palavra à qual sempre fiz jus: esperança. Sempre tive esperança, fé, sempre acreditei no melhor lado das coisas e das pessoas. Tentei retirar o melhor de cada situação e fui aprendendo que por cada porta que se fecha, muitas se abrem, apenas temos de mudar a nossa perspectiva. Há, contudo, certas situações que me matam. Literalmente... Matam. O corpo continua com vida, é certo, mas a alma morre e vegeta com a execrável dor da perda. Já Lhe pedi muita coisa: um grande amor, notas de excelência, passa no exame condução... Mas hoje peço algo maior, peço uma vida. A tristeza tácita que coabita comigo começa a vir ao de cima em tom de desespero. E quando tudo o resto falha, vem a fé. E há momentos nos quais a fé é tudo o que temos para nos agarrar. Porque a ciência falha, a sorte falha, tudo falha! Na verdade o meu mundo está a ruir mesmo à minha frente e a cada bocadinho que tento reconstruir, mil pedaços se desfazem. As más notícias irrompem-se sucessivamente e chega a uma altura que nem as lágrimas, nem os gritos, nem a música aos altos berros aliviam. O ódio e a raiva que tenho no coração subjugam a força que outrora fazia parte das minhas atitudes. Hoje estou fraca e sou fraca e tudo o que preciso é que Me ajude, ajudando-o a ele. Eu sabia que este dia estava para vir, aliás tinha um pressentimento horrível desde a ida para o hospital. Mas sinceramente? Nunca pensei que fosse tão grave. Que me dê forças para sorrir da próxima vez que o vir. E a solidez necessária para o abraçar sem que ele perceba que pode ser a última vez. Mas sobretudo, que a ele lhe dê o que ele precisa para vencer esta luta. Porque por mais débil que esteja e por mais rios que chore, não vou deixar de lá estar até ao último suspiro. Que a ciência o ajude, mas que Deus o proteja, que lhe ponha a mão sobre o ombro e a força precisa no coração. É por ele que quero ir para Medicina e é pelo caso dele que nunca vou desistir. Que Deus lhe dê mais 10 anos ao meu lado ou, pelo menos, que lhe dê o suficiente para eu lhe dizer tudo o que ainda não disse. Só Lhe peço saúde. Que chumbe a todas as cadeiras, que nunca mais saiba o que é ter um grande amor, que perca a casa e o carro e todos os bens materiais. Mas peço-Lhe, não mo tire de mim.

2 comentários:

Rainha disse...

Muita FORÇA. Acredita SEMPRE.
Beijo e um abraço apertado

Joana Filipa disse...

Muito obrigada! :)**