domingo, 17 de junho de 2012

Meu querido Fernando Pessoa...

Sabes, com certeza, aquela história da despersonalização, da desfragmentação do "eu", de seres "muitos" de uma só vez. Pois bem, nunca li nada tão antagónico como a tua escrita. Como será possível adorar o Alberto Caeiro, chegar a idolatrá-lo e a achar que a sua escrita é o protótipo da escrita simples, mas perfeita e depois chegar à Mensagem e achar que aquilo é dificílimo de se perceber se não estivermos atentos aos mais ínfimos pormenores? Como é possível que o Ricardo Reis seja um apologista acérrimo do carpe diem e o Álvaro de Campos tenha uma 3ª fase tão abúlica que nos chega a fazer ter uma pena desgraçada de um homem tão miserável? Iniciando mesmo o seu poema Tabacaria com "Não sou nada/ Nunca serei nada/ Não posso querer ser nada/ À parte disso tenho em mim todos os sonhos do mundo". Mas isso é só depois de se exaltar efusivamente nas Odes, falando do progresso, da excitação, erotizando mesmo o delírio que sente com a máquina! E tu, tu ortónimo, que dizes que "O poeta é um fingidor/ Finge tão concretamente/ Que chega a fingir que é dor/ A dor que deveras sente", mostras claramente que tudo o que escrevemos não passa de uma racionalização de sentimentos. Não mentimos, não, nós racionalizamos as nossas memórias para as podermos partilhar. Mas parece-me rebuscado demais pensar nisto. A mim e a 99,9% da população. Daí tu seres quem és. Um génio sem igual. O meu ídolo há quase tantos anos quantos me conheço. Mas o terror e o pesadelo dos alunos de 12º ano que tentam compreender aquilo que nem tu compreendias! Descansa em paz, meu amigo, e dá-nos inspiração para te escalpelizarmos até ao mais ínfimo pormenor, se assim nos pedirem...

6 comentários:

teardrop disse...

Como grande fã de Fernando Pessoa, adorei o post! A frase da Tabacaria que colocaste é genial... Como toda a obra!
Beijinhos

Maria Alves disse...

Ahahah muito bem dito Joana! A Mensagem para mim é muito mais fácil, talvez por ter história. Quando analiso Fernando Pessoa ele-mesmo, Álvaro de Campos ou Ricardo Reis, Sttau Monteiro, Saramago ou o Camões, apetece-me violá-los com canetas e lápis mandá-los para a cova novamente! Queria imenso que saísse a Mensagem, digo-te já!! Este texto está divinal ahaha! É já amanhã: M-E-D-O. Boa sorteeee!

Filipa disse...

Pessoa inspira qualquer um :)
Gostei de tudo aquilo que escreves-te.. *

Joana Filipa disse...

Obrigada! Fernando pessoa é ídolo de muita gente, naturalmente! Beijinhos :)*

Joana Filipa disse...

Pois, a minha história já está um pouco adormecida, pelo que fica mais difícil interpretar. Se sair Mensagem que saia o Mar Português!! ahah Para mim Felizmente há Luar era o melhor, ou então Alberto Caeiro :p beijinhos, para ti também! **

Joana Filipa disse...

Obrigada! :) beijinhos *