sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Alguma vez de desististe de um sonho?...


Ainda as tenho guardadas. Devo confessar que continuo até a calçá-las. A pouco e pouco, vou saboreando o ritmo que flui nas minhas pernas e nos meus braços. Que percorre todo o meu corpo. Encolho os glúteos, endireito o queixo, aperto a barriga e sorrio, sorrio como me ensinaram que era importante a sorrir.
Às vezes dou por mim, no meio do intervalo da escola, a fazer um "port de bras". Outras, em Educação Física, faço um "grand battement" e a minha perna ainda chega lá bem acima. Depois recordo "a anca não pode mexer, é como se a perna não fizesse parte do resto do corpo". Tenho presente tudo mesmo. Até a tarantella, a melhor performance de sempre.
Não desisti porque teve obrigatoriamente de ser, desisti porque não fui forte o suficiente para continuar. Cheguei ao limite. Por vezes penso "e se ainda estivesse lá? Junto daquele grupo que me viu a crescer como pessoa e como bailarina". Quando isto me vem à cabeça, admito que sinto um vazio abrupto; uma falta de algo que preenchia o meu lado mais excêntrico, mais musical, mais meu.
Como tudo na vida, acabou. Mais tarde ou mais cedo teria de acabar, no entanto, se calhar acabei demasiado cedo o prazo de validade.
Contudo, nada foi em vão. Há uma parte de mim que ainda dança; há uma parte de mim que, de quando a quando, ainda põe o disco gravado a tocar e se tenta lembrar de como era bailar, uma última vez.

... Eu já, e tu?

4 comentários:

DSM disse...

Adorei, escreves de uma maneira que cativa quem quer que leia. Continua porque está muito bom!

Beijinho e obrigado por teres passado no meu blog xD

Joana Filipa disse...

Obrigada Daniel!

Gustavo disse...

Uau :o
Nunca pares de escrever!

Joana Filipa disse...

Oh! Obrigada Gustavo (L)