quarta-feira, 2 de maio de 2012

Amor

O amor, o amor... E eu que ainda tento perceber o que isso é! Na verdade quanto mais vivo, menos sei. Antes amor era apenas gostar muito de alguma coisa, era o pai e a mãe, eram os avós e os tios. Era uma coisa boa, bonita. Era o que nos fazia sorrir. Hoje acho que amor é uma coisa diferente, sem saber, no entanto, o que é realmente. Descobri que no amor não se pode aceitar tudo nem, muitas vezes, perdoar tudo. Descobri que mais do que um pedido de desculpas, é preciso um arrependimento honesto. Descobri também que, por vezes, é preciso provar o pior para depois dar valor ao melhor. Há pessoas que passam e vão, outras que passam, ficam e permanecem. Há várias pessoas que constituem o nosso passado e o nosso presente. Mas há uma, e apenas uma, que vai entrar no nosso mundo, tornando-o também seu, e nos vai mostrar porque é que nunca deu certo com outra pessoa. E é essa pessoa que nunca, nunca, nunca nos vai escapar. Eu ainda acredito no amor.

2 comentários:

Raquel C disse...

Gostei do texto! É claro que temos de acreditar no amor, e quem não acredita, nunca vai deixar entrar ninguém especial na sua vida, e isso sim, é triste!
Peace and Love, Raq. (http://raquelcorreia09.blogspot.com)

Joana Filipa disse...

Tens toda a razão! Beijinho **