terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Sondagem Nº 9 - O que farias se fosses traído/a?


Nesta sondagem os resultados não me surpreenderam por aí além. Nenhum dos votantes é liberal o suficiente para dizer que "Desculpava, todos temos o direito de errar". Podemos concluir que nos dias de hoje, a traição não é vista de forma alguma de ânimo leve. 12% dos votos foram para a opção "Falava sobre o assunto e tentava compreender o lado dele/a". De facto, muitas vezes, há uma razão para a traição, a pessoa pode efectivamente fraquejar num momento mais carente, ou pode inclusivamente ser persuadida a cometer um "erro", claro que para mim isto eram meras desculpas, mas saltemos a minha opinião pessoal! 25% dos votantes afirmam que "Metia-lhe os patins no momento que descobrisse". É uma visão mais radical das coisas, mas a meu ver está no seu pleno direito, a sensação de traição, de troca, de rejeição deve ser horrível! Os restantes 62% disseram que "Falava com ele/a, pedia justificações, mas acho que não conseguia desculpar". Uma posição mais intermédia, mas que também é apologista de que, perante a traição, a relação deve findar, (provavelmente estes 62% perguntariam coisas do género: como é que foi, diz lá?! Ele/a era assim tão melhor que eu? Gostaste? Estás contente seu/sua por** de mer**?!?!) Isto sou eu a supor o masoquismo do ente traído!!
Enfim, mais uma sondagem que permitiu verificar que antes de se meter o pé na argola, mais vale pensar muito bem que se está a pôr em causa uma relação que pode trazer muitas mais alegrias que um momento de prazer.

2 comentários:

Inês C disse...

quanto à tua nova sondagem. ñ posso responder pois não é nenhuma. queria algo especial mas ele não está cá :(

Joana Filipa disse...

ohh, fazes algo especial à distância, nada te ocorre? ahah :)